Início » Cosmovisão » Como Zaqueu, eu quero descer…

Como Zaqueu, eu quero descer…

Por Gospel Prime


Alguns internautas têm me instigado a analisar a composição “Faz um milagre em mim”. Eu vinha evitando fazer isso, a fim de não provocar a ira dos fãs do cantor que interpreta esse hit “evangélico”. Afinal, vivemos em uma época em que dar uma opinião à luz da Bíblia desperta a fúria daqueles que dizem ser servos de Deus, mas são, na verdade, fãs, fanáticos e cristãos nominais.

Resolvi, pois, atender os irmãos que desejam obter um esclarecimento quanto ao conteúdo da canção mais cantada pelo povo evangélico na atualidade, a qual começa assim: “Como Zaqueu, eu quero subir o mais alto que eu puder”.

Primeira pergunta para reflexão: Zaqueu, quando subiu na figueira, era um seguidor de Jesus, um verdadeiro adorador? Não. Ele era um chefe dos publicanos, desobediente a Deus e corrupto (Lc 19.1-10). Nesse caso, como um crente em Jesus Cristo, liberto do poder do pecado, pode ainda desejar ser como Zaqueu, antes de seu maravilhoso encontro com Jesus?

Segunda pergunta para reflexão: Por que Zaqueu subiu naquela árvore? Ele estava sedento por salvação? Queria, naquele momento, ter comunhão com Jesus? Não. A Palavra de Deus afirma: “E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um varão chamado Zaqueu; e era este chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura” (Lc 19.1-3). Ele não subiu na figueira porque estava desejoso de ter comunhão com Jesus, mas porque estava curioso para vê-lo.

Terceira pergunta para reflexão: O verdadeiro adorador deve agir como Zaqueu, ou como o salmista, que, ao demonstrar o seu desejo de estar na presença de Deus, afirmou: “Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?” (Sl 42.1,2)? Será que o pecador e enganador Zaqueu tinha a mesma sede do salmista? Por que um verdadeiro adorador desejaria ser como Zaqueu?

Mas o hit “evangélico” continua: “Só pra te ver, olhar para ti e chamar sua atenção para mim”. Outra pergunta para reflexão: Será que precisamos subir o mais alto que pudermos para chamar a atenção do Senhor? Zaqueu, segundo a Bíblia, subiu na figueira por curiosidade. Mas Jesus, olhando para cima, lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Observe que não foi Zaqueu quem chamou a atenção de Jesus. Foi o Senhor quem olhou para cima e viu aquele pecador perdido e atentou para ele (cf. Mt 9.36).

A atitude de Zaqueu que nos serve de exemplo não foi o subir, e sim o descer, para atender o chamamento de Jesus: “E, apressando-se, desceu, e recebeu-o gostoso” (Lc 19.6). Por conseguinte, pergunto: O adorador, salvo, transformado, precisa subir para chamar a atenção de Jesus? Não. Na verdade, o Senhor está com o contrito e abatido de espírito (Is 57.15). Espiritualmente falando, Ele atenta para quem desce, e não para quem sobe (Sl 138.6; Lc 3.30).

Mais uma pergunta para reflexão: Se a atitude que realmente recebe destaque, na história de Zaqueu, foi a sua descida, por que a canção enfatiza a sua subida? O mais lógico não seria cantar “Como Zaqueu, eu quero descer”? Reflitamos. Afinal, como diz uma frase que circula na grande rede, o Senhor Jesus morreu para tirar os nossos pecados, e não a nossa inteligência.

A composição não é de todo condenável, pois o adorador que se preza deve mesmo cantar: “Eu preciso de ti, Senhor. Eu preciso de ti, ó Pai. Sou pequeno demais, me dá a tua paz”. Mas, a frase seguinte provoca outra pergunta para reflexão: “Largo tudo pra te seguir”. Estamos mesmo dispostos a largar tudo para seguirmos ao Senhor? E mais: É preciso mesmo largar tudo para segui-lo?

O que o Senhor Jesus nos ensina, em sua Palavra? Em Mateus 16.24, Ele disse: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. Renunciar não é, necessariamente, abandonar, largar, mas pôr em segundo plano. A própria família pode ser um obstáculo para um adorador. Deve ele, nesse caso, largá-la, abandoná-la? Claro que não! Renúncia equivale a priorizar uma coisa em detrimento de outra.

Não precisamos largar a família, o emprego, etc. para seguir o Senhor! Mas precisamos considerar essas coisas secundárias ante a relevância de priorizar a comunhão com Jesus (Mt 10.27). Nesta última passagem vemos que o adorador deve amar prioritariamente o Senhor Jesus, mas sem abandonar tudo para segui-lo! Não confundamos renúncia com abandono. O que devemos largar para seguir a Jesus é a vida de pecado, e não tudo.

A canção continua: “Entra na minha casa. Entra na minha vida”. O compositor se refere a Zaqueu, mas não foi este quem convidou o Senhor para entrar em sua casa. Na verdade, foi Jesus quem lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Nota-se, pois, que esta parte da canção não é essencialmente cristocêntrica, e sim antropocêntrica. Ela não prioriza a obra que Jesus faz na vida do pecador, e sim o que o homem, o ser humano, faz para conseguir o que deseja. Enfatiza a autoajuda, e não a Ajuda do Alto.

Amém?

Outra pergunta para reflexão: Um verdadeiro adorador, um servo de Deus, alguém que louva a Jesus de verdade, que canta louvores ao seu nome, não é ainda uma habitação do Senhor? Por que pedir a Ele que entre em nossa casa e em nossa vida, se já somos moradas de Deus (Jo 14.23; 1 Co 6.19,20)?

A parte mais contestada da composição em apreço sinceramente não me incomoda muito: “Mexe com minha estrutura. Sara todas as feridas”. Que estrutura seria essa? No Salmo 103.14 está escrito: “… ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó”. Deus, é claro, conhece-nos profundamente. Ele conhece a totalidade do ser humano: espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23; Hb 4.12). Creio que o compositor tomou como base o que aconteceu com Zaqueu. O seu encontro com o Senhor mudou a sua vida por completo, “mexeu com a sua estrutura” (Lc 19.7-10). Deus faz isso na vida do pecador, no momento da conversão, e continua a transformar os salvos, a cada dia (2 Co 3.18).

Quanto a sarar feridas, o Senhor Jesus de fato nos cura interiormente. Mas não pense que estou aqui defendendo a falsa cura interior, associada a regressão psicológica, maldição hereditária, etc. Não! O Senhor Jesus, mediante a Palavra de Deus e a ação do Espírito Santo, cura os quebrantados do coração, dando-lhes uma nova vida (Lc 4.18; 2 Co 5.17).

Diz ainda a canção: “Me ensina a ter santidade. Quero amar somente a ti. Porque o Senhor é o meu bem maior”. Sendo honesto e retendo o que é bom na composição (1 Ts 5.21), Deus, a cada dia, nos ensina a ser santos, em sua Palavra (Hb 12.14; 1 Pe 1.15-25). Além disso, Ele é, sem dúvidas, o que temos de mais precioso mesmo e, por isso, devemos amá-lo acima de todas as coisas (2 Co 4.7; Lc 10.27).

Quanto à última frase “Faz um milagre em mim”, o compositor comete o mesmo erro de português constante da campanha de publicidade da Embratel: “Faz um 21”. Na verdade, no caso da canção o correto seria: “Faze um milagre em mim”. E, no caso da Embratel: “Faça um 21”. Quer saber por quê? Aí já é querer demais, não é? Investigue, pesquise, caro internauta, principalmente se você é um editor de blog. Conhecer o vernáculo é uma necessidade de quem lida com textos.

Diante do exposto, que os pecadores, à semelhança de Zaqueu, desçam, humilhem-se, a fim de receberem a gloriosa salvação em Cristo (Lc 18.9-14). E quanto a nós, os salvos, os verdadeiros adoradores, em vez de subirmos o mais alto que pudermos, que também desçamos a cada dia, humilhando-nos debaixo da potente mão de Deus (1 Pe 5.6), a fim de que Ele nos ouça e nos abençoe (2 Cr 7.14,15).

por: Pr. Ciro Sanches Zibordi

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.


Leia mais...

Discernindo os “tempos e os ventos”

Discernindo os “tempos e os ventos”

O que fazer ao descobrir que um ladrão se passou por...

O que fazer ao descobrir que um ladrão se passou por...

Resposta ao Julio Severo

Resposta ao Julio Severo

Você acredita na igreja?

Você acredita na igreja?


Comentários

Comentários

  1. Natália Gabriela

    Siim (:

  2. Romildo Fernandes Gurgel Gurgel

    Parabéns amigo Marcos. Muito elucidativa seu artigo dos fatos que estão acontecendo com a igreja brasileira. Historicamente falando, o mesmo aconteceu nos países do continente Europeu, EUA e agora acontecendo em nosso país. Com a renúncia do Papa Bento, a igreja católica aumentou ainda mais a sua crise, com certo ar de esperança, será? O povo brasileiro deixou de ser ignorante, muitas igrejas estão sendo abertas, outras estão sendo desmascaradas. A experiência da vida comunitária pode ser boa e ruim, mas ainda continua sendo a comunidade de Deus, independente do número de seus frequentadores. Percebo que muitos estão preferindo se reunir debaixo de uma bananeira do que debaixo de um arranha céu onde existe exploração, manipulação, abusos das mais diversas formas e muita tolerância entre (os oficiais), que deveriam ser o exemplo dos fieis. Existe muita sujeira sendo acobertada, no lugar de estarem vivendo a graça, a desgraça está aí mostrando sua face corrupta e os sistemas religiosos engessados e bem definidos, a sujeira acumulou-se tanto, que não puderam esconder mais, os resquícios das marcas de uma vassoura que não é a graça de Deus, mas as suas próprias conveniências. Deus está levantando homens e mulheres com essa voz lúcida e amorosa para buscar a ovelha perdida, mas não para recolocá-las no aprisco religioso, mas sob o aprisco do cuidado de um Deus que se importa com eles. O importante é se reunir, seja onde for. A velha controvérsia da adoração no templo de Jerusalém e Samaria se descortina novamente em nossos dias, o que é importante é reunir-se em Espírito em verdade. A onipresença, onisciência e onipotência não tem endereço certo. É só lê os evangelhos e vê onde acontece mais. Parabéns e um abração.

    Romildo Gurgel

  3. Heriberto Beto

    esse é o verdadeiro evangelho que tem que ser pregado… está faltando igrejas de acolhimento… igrejas com visão participativa com a sociedade, pq só assim na comunhão, amor para com o proximo, a igreja entrará na graça da sociedade (povo) Atos 2:46,47…..PARABENS uma maravilha de artigo. Deus abençoe a todos.

  4. Francisco Medeiros

    Parabéns pelo artigo lúcido.

  5. Odair Parede

    A igreja é do Senhor Jesus e nós temos que participar como corpo. Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos.
    O Templo é para comunhão e devemos seguir o exemplo de Cristo e dos discípulos no passado.

  6. Maria Izabel Correa

    eu mesmo so uma sem igreja, quero buscar a DEUS em casa. me desepicionei muito na igreja e muita mentira, coisas que nao ta escrito eles inventam. to fora, mais nao deixo meu DEUS eu o adoro. mais la nao volto mais.

  7. Marcos Belges

    Só uma observação: O povo brasileiro ainda continua IGNORANTE.

  8. Marcos Belges

    tenta reunir pessoas como vc em sua casa e formam celulas independentes. Deus abençoe!

  9. Marcos Belges

    já tentou pregar o Apocalipse ou vai dizer que é mistério de Deus como muitos falam por ai

  10. Instituto Teológico Gamaliel

    O ITG – Instituto Teológico Gamaliel, atua na formação teológica de homens e mulheres das mais diferentes denominações eclesiásticas, fornecendo-lhes cursos de teologia nos níveis.
    http://www.institutogamaliel.com
    http://www.institutogamaliel.com/loja
    http://www.institutogamaliel.com/portaldateologiab
    http://WWW.PASTORMARCOCELICIANO.BR21.COM
    http://www.pastormarcofeliciano.vai.la/
    http://www.pastorsilasmalafaia.vai.la/
    http://otpbdobrasil.ning.com/
    http://www.pastoreseteologos.com/
    http://www.pastorclaudioduarte.vai.la/
    http://www.faculdadedeteologia.vai.la/
    http://www.gmuh.vai.la

  11. Juliana Galvão

    Marcos Belges nem todos, generalizar também é ignorância