Vale a pena usar o 13º salário para fazer compras de Natal?

“Melhor é o pouco do justo do que a riqueza de muitos ímpios” (Salmos 37:16)


Vale a pena usar o 13º salário para fazer compras de Natal?

Caros irmãos,

É desejo de cinco em cada dez brasileiros usar o 13º salário para fazer as compras de Natal, segundo pesquisa da SPC Brasil e CNDL. Para saber se vale a pena, é preciso considerar a sua situação financeira atual.

Endividado ou inadimplente

Primeiramente é preciso saber a diferença entre essas situações. Está endividado quem assumiu uma dívida, como um financiamento, parcelamento no cartão de crédito ou empréstimo pelo cheque especial. Inadimplente é quem não está pagando as suas dívidas na data devida.

Se estiver inadimplente, é válido pensar na renegociação com os credores. O 13º pode ser uma saída da situação. Primeiro, levante todas as suas dívidas e priorize para pagamento as de produtos e serviços essenciais, como energia elétrica, água e moradia. Considere também as de maior incidência de juros, como cheque especial e cartão de crédito.

Se for possível quitar a dívida atrasada com o 13º salário, é interessante fazer. Porém, se ele servir apenas para quitar parte da dívida, é mais indicado reservar o valor e poupar um pouco mensalmente até poder renegociar o pagamento. Prefira fazer um planejamento para que as compras de Natal caibam no orçamento mensal e não precise entrar em novas dívidas.

Equilibrado financeiramente

Essa situação pode parecer tranquila, mas na verdade é preocupante. Por não ter o hábito de poupar, você tende a ficar vulnerável caso aconteça alguma emergência. O ideal é que tenha uma reserva estratégica e que poupe para pelo menos três sonhos, portanto use o seu 13º salário para mudar seus hábitos e comportamentos para se tornar alguém que realiza sonhos constantemente.

É válido poupar parte do 13º salário e usar outra parte para fazer as compras de Natal sem precisar se endividar.

Investidor

Se você já tem o hábito de investir, parabéns! Procure direcionar todo o 13º salário ou ao menos parte dele, para os sonhos que deseja realizar. Basta considerar o período de realização.

Para os sonhos de curto prazo, o dinheiro será retirado em até um ano, portanto é válido investir na poupança ou no Tesouro Direto, por exemplo. Para os de médio prazo, em que os valores ficarão investidos entre um e dez anos, são indicados CDB, Fundo de Investimentos e também Títulos do Tesouro Direto. Já para os de longo prazo, a serem realizados após 10 anos, a previdência privada é bastante indicada.



Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Está a frente do canal Dinheiro à Vista e é autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil.


Deixe seu comentário!