7 dicas para o ministério de louvor parar de passar vergonha na sua Igreja

Saiba como um ministério de louvor precisa se portar na Igreja e cumprir com seu papel de forma correta, adorando a Deus em espírito e em verdade.


7 dicas para o ministério de louvor

Pense no seguinte: depois de muito insistir, você conseguiu convencer aquele seu amigo(a) a ir para Igreja com você para ouvir algo que pudesse ao menos chamar a atenção dele e fazê-lo repensar em alguns conceitos sobre sua vida, sobre Deus e demais coisas.

Pode até ser besteira, mas se um tecladista não tiver ensaiado direito pode deixar qualquer ministério de louvor em maus lençóis, clique aqui para você conhecer um método que ajuda de verdade a aprender piano auxiliando o grupo a elevar o nível e ajudar o Corpo de Cristo, cumprindo seu papel levando a Palavra de Deus através da música.

E lá estão vocês sentados e começa o culto com louvor e adoração. De repente o baixo  tocou uma das músicas fora do tom, as vozes desafinaram, perdendo a harmonia e sem contar que os microfones ficaram falhando o tempo todo.

Quando está na parte da pregação da palavra, o solo do violão está mais alto que a do pregador e no final, pra fechar com chave de ouro, o grupo simplesmente canta uma canção totalmente fora do tema da preleção.

Sabemos piamente que a soberania de Deus ultrapassa qualquer ação humana quando o assunto é fazer Sua vontade, pois Ele é um Deus que Reina sobre todos (Sl 47.7), inclusive num coração de uma pessoa que uma hora era incrédula, foi na Igreja, viu que o ministério de louvor não contribuiu com a Igreja de cumprir seu propósito mas mesmo assim lhe foi revelado à Salvação (Sl 91.16).

Porém se o ministério de louvor comete esse mesmo erro a todo momento, o mesmo perde sua relevância, constrangendo a membresia, seus convidados, atrapalhando a Igreja e dificultando o cumprimento da Grande Comissão, que é de anunciar o Evangelho de forma racional e inteligível.

Deparando com isso, separei aqui algumas dicas que são até simples, mas que fazem uma diferença enorme quando o assunto é executar bem os hinos de adoração a Deus e servir a Igreja de maneira eficiente, ortodoxa e pragmática.

Dica #01: Sem planejamento, sem adoração, só bagulho e barulho.

O único propósito do ministério de louvor fazer parte do corpo da Igreja é auxiliar a mesma a cumprir com seu papel, expandindo a palavra de Deus através da música, porém isso exige organização, planejando de forma pragmática e focando no seu propósito. Isso vai desde escolher o repertório, fazer uma agenda anual de ensaios até enviar os integrantes para programas de capacitação, tanto musical quanto espiritual.

E nada como a internet para ajudar: você pode programar os ensaios pelo Whatsapp, agendando encontros no Google Calendar (hoje praticamente qualquer um tem uma conta no Google), isso auxiliará seus integrantes a se prepararem melhor, participar com mais entusiasmo e compreender seu papel no grupo, sem perder os outros compromissos.

Dica #02: O excesso de organização desorganiza a vida de seus integrantes.

Achou estranho falar isso sendo que a primeira dica tem tudo a ver com organização certo? Pois é, sabemos que tudo o que é excesso causa mal e o ministério de louvor não pode ser a coisa mais importante para o líder e seus integrantes dentro da Igreja, ela é parte da liturgia do culto.

Oriente seus amigos que fazem parte desse ministério a entender que a comunhão entre os irmãos, confessando seus pecados, sua fé e declarando que Cristo é o Senhor, tanto dentro quanto fora da Igreja, é o principal motivo de um grupo de adoração a cumprir com seu papel.

Dica #03: Se o grupo é de música, nada melhor do que todos SABEREM música.

Ministério de Louvor em aula de música
Faça um teste de vocação para saber se a pessoa tem percepção musical o suficiente pra fazer parte do grupo, isso ajuda com a performance do mesmo.

Você sabia que se os vocais do seu ministério tiverem noção de piano ajuda e muito nos ensaios do grupo de louvor? Com algumas aulas você potencializará a percepção musical pra conduzir melodia e harmonia nas canções, corrigindo desafinações, acertando ritmo e demais coisas. Acesse o conteúdo exclusivo e veja como aprender piano é fácil e sem mistérios.

É quase uma obviedade, mas se todos não tiverem o mínimo de percepção musical, a performance do seu grupo pode ir por água abaixo.

Se sua cidade tiver profissionais do ramo musical e sua igreja puder ajudar, você pode convidar esses profissionais promovendo workshops e promovendo a musicalização, fazendo com que o grupo ajuste essa parte que é imprescindível.

Dica #04: Escolhendo as canções conforme o tema do culto e a visão da Igreja, mas se não concordar com a mensagem do Evangelho, pode esquecer.

Sabe o que é um louvor congregacional? É uma canção que a Igreja possa acompanhar, que faz parte da estrutura da congregação, que seja simples, com melodia intuitiva e que possa concordar com a mensagem do Evangelho, assim auxiliando seus membros a prestar um culto com louvores de adoração a Deus.

Quando você senta com seu pastor e o mesmo compartilha a mensagem que vai ser pregada no dia, seria de grande valia fazer com o que for cantado possa auxiliar no tema da pregação.

Um exemplo super básico: O tema envolve uma pregação sobre a Santidade de Deus, baseado em Isaías 6, se o contexto permitir você pode cantar a canção Santo, Santo, Santo do Cantor Cristão, ou do Renascer Praise se sua Igreja não usa esse hinário. Isso ajuda quem está consumindo todo esse conteúdo compreender a mensagem que está sendo passada.

Existem canções lindas, bem arranjadas e trabalhadas, mas algumas delas nem sequer passa perto de ser uma música cristã, mesmo ela sendo cantada dentro da Igreja.

O fato de buscar a Deus nas Escrituras e compreendendo de forma dinâmica sua mensagem você perceberá que essa ou aquela música, por mais que seja linda de ouvir, não está exaltando a Deus.

Tome cuidado pra que a emoção não tome o lugar da razão, pois o culto a Deus é racional (Rm 12.1).

Dica #05: Tira o casaco, põe o casaco.

Sim, não somente ensaiar, mas persistir que as canções saiam pelo menos de forma audível e legível, cumprindo com seu papel.

Os ensaios também precisam ser planejados e executados com excelência para que o ministério de louvor não passe vergonha na hora de atuar na Igreja.

Se puder antecipar o motivo da canção, se analisar a letra e ver que a mesma realmente adora a Deus e coloca-O em evidência, falar da origem/história da música, o ensaio por naipes (ou grupos específicos, como ensaio somente com a banda e somente com os vocais e depois consolidar e ensaiar todos juntos), contar com a disciplina de horário ajuda muito, tanto do tempo do pessoal chegar para evitar atrasos como também do tempo de treino para não estender muito.

Dica #06: No ministério de louvor ou existem os líderes ou existem mercenários cantando no altar.

Ministério de Louvor precisa de líderes e não de chefes
Ser líder da equipe não dá liberdade de ser o chefe de tribo ou ser estrela da galera.

Uma das dicas que li sobre os líderes de louvor de Alex Duke foi essa: Seu líder de louvor deve ser (quase) invisível. Se compararmos com uma empresa, você vai perceber que existe diferença entre chefe e líder do grupo.

O chefe, só manda e quer que o resto faça o que ele pediu pra levar somente o crédito.

O líder tem como sua principal qualidade o anseio em prestar serviço para os seus liderados, ser o primeiro a admitir o erro cometido por si mesmo e cumprir com total liberdade elevar o nome de Cristo através do louvor, fora isso só serve como pedra no sapato de alguns e não contribuindo com a Igreja.

E por fim a Dica #07: Ouvir, aprender, executar e reciclar, ou este sal não terá gosto (Lc. 14:34-35).

Não é errado chegar no final do culto e reunir o grupo por cinco minutos e revisar o que foi feito no dia, para que no próximo possa ser melhorado, também é importante sabermos o feedback de cada integrante, para saber se está rolando aquela sinergia saudável e se ambos estão satisfeitos em servir ao Senhor com esta função.

Outra coisa que é muito importante e interessante: se possível, monte dois times de adoração e faça uma escala intercalando os grupos, assim ajuda o pessoal a se organizar melhor, ter aquele dia de folga dos ensaios e adorar a Deus também cantando como membro na Igreja.

Concluindo: É bom demais adorar a Deus com louvores e saltérios! (SL 150.3)

E ainda mais quando fazemos isso bem feito, bem bonito, organizado e com propósito de servir a Igreja e a Cristo, Àquele que merece tudo de nós.

E lembre-se: ser integrante de um ministério de louvor é profissão que exige dedicação, tempo para servir, treino e capacitação pessoal.

Se você é músico ou faz parte do vocal do seu ministério, é importante saber um instrumento que auxilia para melhorar o ouvido musical e trazer percepção melhor e mais rápida de melodia e harmonia, como o piano e o teclado. Tem um link que você pode acessar agora e saber já nas primeiras aulas como aprender a tocar esse maravilhoso instrumento.

Um grande abraço, fiquem com Deus.



Fernando Sergio

Fernando Sergio

Empreendedor por natureza e focado em promover o Reino com seu trabalho voltado para o Marketing Digital, decidiu há alguns anos trabalhar de casa pra poder ficar mais perto dos filhos e da esposa. Aprendeu violão com seu primo mas se diz músico não por vocação, mas por persistência.


Deixe seu comentário!