MENU

O que é a visão profética das Sete Montanhas de Influência?

A visão foi moldada a partir de um ponto de vista pentecostal, cujas proposições sugerem formas de atuação para a Igreja de Cristo em várias áreas da sociedade.


Bíblia
O que é a visão profética das Sete Montanhas de Influência?

Sete montanhas é uma visão profética que se tornou numa estratégia para a Igreja, proposta por Loren Cunningham, fundador do “Juventude com uma Missão” (YWAM) e Bill Bright a partir de uma visão dada por Deus que ambos receberam em 1975 nos EUA. A visão propõe trazer a mudança divina para a nação alcançando sete esferas, ou montanhas, de influência social.

“A cultura é moldada por sete esferas ou montanhas na sociedade. Se pudermos influenciar cada uma dessas esferas para Cristo, venceremos a cultura de nossa nação ”; essa foi a mensagem específica que ambos tiveram. Jhonny Enlow, posteriormente em seu livro “A Profecia das Sete Montanhas” (The Seven Mountains Prophecy), publicado desde 2008, traz o termo profecia no título, porquanto se baseia num trecho de Apocalipse 5:1-12.

A visão foi moldada a partir de um ponto de vista pentecostal, cujas proposições sugerem formas de atuação para a Igreja de Cristo em várias áreas da sociedade; a saber: Família, Religião, Educação, Mídia, Entretenimento, Finanças e Governo, com cada item representando uma montanha respectivamente.

Embora a visão tenha sido amplamente divulgada e se consolidado nas universidades e igrejas desde 1975 e aconteça uma infinidade de eventos, workshops e treinamentos para enorme número de pastores e líderes em uma infinidade de países mundo afora, ainda é praticamente desconhecida no Brasil.

No escopo deste artigo trataremos como ​A Comissão das Sete Montanhas​ – pois se tem cada vez mais estabelecido como um chamamento, um apelo para atuação da Igreja no contexto atual – que é como as últimas publicações, eventos e até mesmo os críticos têm tratado esse paradigma.

Por ter suas questões abordadas de um ponto de vista pentecostal, a Comissão das Sete Montanhas provoca nos cristãos tradicionais ou das igrejas históricas uma certa dificuldade ou reticência em aceitar alguns pontos seus.

Certo é que a visão supera certas dificuldades muito claras e definidas que a Igreja de Cristo tem sofrido na terra e devido a sua abordagem pragmática tem se estabelecido com vigor por onde é ministrada. A principal eu nomearia como a perda constante de influência nas nomeadas esferas sociais que a Igreja, através de seus membros, tem perdido.

Se analisarmos seus detratores e seus argumentos, veremos que são os que estão mais acomodados ou moldados à forma como vem sendo conduzido o caminho de cada uma das esferas de atuação. De certa forma, temem mais por comodismo ou complacência que por pontos teóricos propriamente.

Loren Cunningham e Bill Bright concluíram que, para realmente transformar qualquer nação com o Evangelho de Jesus Cristo, essas sete esferas da sociedade devem ser alcançadas: Religião, Família, Educação, Governo, Mídia, Artes e Entretenimento e Negócios. A explicação de cada tópico que se segue é a mais generalista possível para atingir o máximo de pessoas, sem entrar em celeumas e detalhes teológicos desnecessários que desfocariam o assunto. A lista não obedece ordem hierárquica alguma.

1.  Educação

Na educação temos um verdadeiro exército de professores ativistas ateus e doutrinadores, cujo único objetivo é converter alunos filhos de cristãos em massa de manobra e causar verdadeiro caos na família, já que a discordâncias com os valores dos pais e demais familiares gera debates, brigas constantes e causa divisões. Basta fazer uma visita a qualquer universidade pública brasileira e verificar por si a situação e as pautas estudadas. Hoje, o estudante entra na faculdade, ao invés de ser iniciado no aprendizado das matérias em um nível superior para as quais se candidatou, o que fazem logo é transformá-lo num ateu e tratam de encaixá-lo em algum grupo de causas progressistas.

Isso tudo vai refletir em profissionais que ocuparão cargos e posições e influenciarão a sociedade posteriormente. Basta consultar qualquer índice de aferição do nível da nossa educação e ver que amargamos vergonhosas posições nesse quesito. Daí a importância de os cristão ocuparem essas posições e trazerem de volta um ensino voltado à busca pela verdade e não a submissão cega a ideologias.

2.  Mídia

A esfera da Mídia abrange ​rádio, estações de notícias de TV, jornais, notícias da Internet e sites de opinião (blog) etc.​ A Mídia tem o poder de despejar diariamente notícias favoráveis e de acordo com uma agenda progressista cujo objetivo único é destruir a família e pavimentar o terreno para as pautas que serão inseridas pelos congresso. Através de suas novelas, matérias, programas de auditório, propõe diariamente novas palavras para dar novos significados a coisas, ataca valores e instituições e defende aqueles que lhe convém.

3.  Governo

O governo atende pautas de deputados e entidades engajadas e ativas em impor suas ideias progressistas. O Brasil sendo um país majoritariamente cristão e conservador, lamentavelmente ainda não tem um único partido que se declare conservador ou deputados que defendam essa bandeira. É travada verdadeira guerra de uns poucos militantes que se utilizam de minorias e tentam por via de leis promover uma engenharia social nos costumes. Tentam impor por força de leis, ideologias e vão cada vez mais restringindo a liberdade de atuação dos cristãos. Há temas que pastores vão ficando cada vez mais constrangidos de tratar e muito menos de pregar publicamente. Vão se tornando temas quase privados que as próximas gerações sequer saberão que um dia foi pregado em alto e bom tom que era pecado.

A perseguição à igreja se dá através da atuação de políticos contrários aos princípios cristãos com leis que vão cada vez mais tolhendo a liberdade do indivíduo professar sua fé e o empoderando de minorias autoritárias que querem a todo custo eliminar seus antagonistas. “A justiça exalta os povos, mas o pecado é a vergonha das nações” (Provérbios 14:34).

4.  Religião/Igreja

A Igreja de Cristo na terra (ecclesia, grego) tem a função de um “corpo governante”. É óbvio que isso se refere ao corpo de Cristo aqui primariamente, o seu Reino; porém vivemos no mundo, pagamos impostos, consumimos todo tipo de coisas e isso deve ser levado em consideração. Os princípios judaico-cristão moldaram a cultura no ocidente e a destruição dela passa pela destruição desses princípios. Um dos recursos do inimigo da Igreja de Cristo é inserir suas pautas mundanas nas pregações, no ensino e na direção dada a ela. Exemplo disso é a teologia da libertação que injetou e “turbinou” o Evangelho com marxismo, justificando o apoio a ditadores sanguinários mundo afora e pautas em total desacordo com princípios divinos. Outro é a questão de temas como racismo, feminismo, homofobia que a Igreja começa a ser constrangida a dar respostas. A igreja deve refletir o pensamento do alto e não horizontalmente. Esses assuntos, homens com princípios cristão devem tratá-los na sua esfera.

5.  Família

A área que mais sofre ataques é a família. Família é o cerne da sociedade. É o último reduto de proteção da sociedade e dos valores que a mantém. Famílias desestruturadas não resistem às investidas do inimigo; são alvo fácil de cooptação para pautas progressistas que de certa forma sinalizam concordância com a forma que vivem e oferecem propostas que justifiquem seu estilo de vida. Promiscuidade, alcoolismo, sexo livre, divórcio, abuso sexual, negligência, aborto e por aí vai. Hoje a mulher foi arregimentada como força de trabalho e há uma enorme pressão para que ela também vá ganhar dinheiro, como se sua felicidade dependesse só disso, abrindo mão da educação personalizada que ela poderia oferecer ao seu filho em prol de uma carreira de sucesso. Os casais entregam seus filhos para serem educados pelo estado, que por sua vez vai usar daqueles professores que comentamos na esfera da educação. Nesse cenário todo desestruturado com uma pressão do estado para tomar conta de seu filho, surge a juventude muito pronta em proclamar seus direitos a partir de todo o conforto que essa geração de pais conquistou com esforço, mas que não tem a menor noção dos deveres que vem como contrapartida aos direitos.

6.  Negócios

Vivemos sob o regime capitalista e os negócios são uma esfera de extrema importância em nossa cultura. Negócios geram riqueza e prosperidade onde há o livre mercado. Basta ver que os países mais pobres ou atrasados sempre há o socialismo como regime, ou uma combinação de governos de ditadores e perseguição religiosa. A esfera da educação interfere na dos negócios a medida que divulga incessantemente o marxismo e sua ideia equivocada de exploração dos pobres e luta de classes, transformando empresários em vilões exploradores dos mais fracos e apresentando o estado como o leviatã que está acima do bem e do mal capaz de regular todas as relações e único capaz de trazer a felicidade para o indivíduo. O site “​humanprogress.org​” oferece dados confiáveis para quem quiser saber mais sobre como o capitalismo trouxe muito mais riqueza e prosperidade por onde foi adotado.

Empresários engajados numa agenda progressista interferem na vida do país quando investem seu dinheiro em ONGs que defendem causas que contrariam os princípios bíblicos. Pesquise sobre as fundações das grandes empresas e procure saber sobre as instituições que elas patrocinam com grande volume de dinheiro doado. Sempre haverá uma ONG abortista, outra que prega a divisão entre negros e brancos, homens e mulheres etc, recebendo dinheiro dessas megacorporações. Se um cristão comprometido com princípios bíblicos alcança esses cargos ou posições é dever dele se posicionar, não se omitir e reagir diante desse cenário fazendo valer sua influência em benefício da própria população.

Nessa esfera, não podemos deixar de mencionar o caso das empreiteiras e seus altos executivos envolvidos com o maior caso de saque dos cofres públicos que se tem notícia na história recente da humanidade. Esse caso foi o que deu início a famosa “Operação Lava Jato”. São empresários sem princípios e ávidos apenas por dinheiro. Semearam corrupção, hoje colhemos o desemprego em massa e a miséria que se aproxima cada vez mais como um fantasma das famílias.

O lema dessa esfera deveria ser: “​prosperidade com propósito​”.

7.  Entretenimento

Nesta esfera desponta uma das forças mais influentes que moldam nossa sociedade. Através da literatura, música, cinema, televisão, redes sociais e artes em geral, impulsionam os gostos, valores e padrões culturais dos cidadãos, especialmente sua juventude.

Com temas como sexo, drogas e álcool, a indústria de entretenimento exerce influência significativa em nosso dia a dia.

A Igreja de Cristo precisa de homens e mulheres justos e íntegros, arrojados, que não tenham medo de levar o talento dado por Deus para a esfera do entretenimento.

Artistas prontos para promover propósitos do Reino de Deus, ao mesmo tempo que impactam àqueles que estão perdidos nas trevas e de outra forma teriam dificuldade em ouvir a mensagem cristã nas suas formas tradicionais.

Para quem tem interesse em aprofundar sobre esse tema, atualmente o nome de maior destaque nos EUA e que divulga ativamente o assunto é Lance Wallnau. Aqui você pode acessar a entrevista original que Loren Cunningham – o homem que recebeu a mensagem de Deus – deu: “​http://archive.is/e9zT6​”

É óbvio que a Palavra de Deus ainda continua sendo nossa principal fonte de orientação, mas ter disponível este conhecimento e uma estratégia assim poderosa, pode fazer uma diferença enorme na qualidade de vida dos cristãos e da sociedade. O que está escrito não mudará, mas durante nossa caminhada podemos refletir a vontade do Criador e fazer diferença até mesmo na vida dos nossos inimigos e dos que nos perseguem.



Formado em Letras (Literatura Inglesa e Portuguesa), pastor assembleiano, professor da EBD e de teologia, residindo em São José, SC.

Assuntos:


Deixe sua opinião!

Mais notícias