A reforma apostólica e a revolução dos diáconos

O discernimento de Estevão e a descontaminação religiosa com o Sinédrio


A reforma apostólica e a revolução dos diáconos

Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta: O céu é o meu trono,e a terra o estrado dos meus pés.Que casa me edificareis? diz o Senhor,Ou qual é o lugar do meu repouso?  Porventura não fez a minha mão todas estas coisas?  Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais. A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Até mataram os que anteriormente anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora fostes traidores e homicidas; Vós, que recebestes a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes.” (Atos 7)

No livro de Atos, vários episódios marcaram a fundação da igreja. Mas, hoje, gostaria de marcar o amigo leitor com os eventos que estão registrados entre os capítulos 07 e 08 daquele livro de constituição de nossa fé. Não de uma constituição de denominação, mas de uma construção de algo verdadeiro, inabalável, inconfundível, que é a nossa fé em Cristo Jesus e na sua ressurreição.



Espero que todos já tenham passado a leitura por um dos momentos mais fundamentais da história da Igreja, que é a primeira Reforma Protestante de nossa era, a Era da Igreja, reforma esta, iniciada por João Batista, travada com especial dedicação de Pedro, Paulo e dos demais apóstolos e discípulos da Bíblia, desde os discípulos de João Batista, os quais ajudaram a formar a igreja de Cristo.

Alguns nomes, porém, além de Pedro e Paulo, às vezes ficam esquecidos nos estudos das igrejas modernas por conta de seus negócios. Porém, comprometido com o Reino de Deus, e com o propósito eterno, citado em Romanos 8:29, não podemos deixar de citar a importância do serviço zeloso e transformador que os primeiros reformadores da fé desempenharam, os quais tiveram papel absolutamente relevante na história da primeira igreja e na história da humanidade, Estevão e Filipe, foram exemplo! Estes nomes estavam entre os escolhidos  pela igreja e pelos apóstolos de Atos 7 para reorganizarem o serviço da comunidade em benefício comum, e em construção de melhorias no serviço cristão na semeadura do reino de Deus! Obviamente existem outros nomes de cristãos de grande relevância que semearam e até formaram igrejas em Roma e adjacências, que são anônimos na terra, mas Deus viu essa revolução de mordomos ou diáconos, que o seu significado. Diaconia é serviço.

O discernimento de Estevão e a descontaminação religiosa com o Sinédrio



Estevão rompeu com a religião falando simplesmente a verdade, ou seja, tudo o que estava escrito.
No capítulo 7, vemos o valente de Cristo, confrontando o vício religioso com fé, firmeza, convicção, ousadia, e coragem no Espírito Santo!! Ele sabia em “quem” havia crido, e estava bem certo do Poder do Espírito!!!

Certamente, que chamar os religiosos de “incircuncisos de coração e de ouvidos”, não significava nenhuma ferida no coração de nosso segundo mártir apostólico, mas para os religiosos significava um cruel ataque ao ego. Contar a história certa, narrar a verdade, contextualizar as profecias, confrontar os vícios,  mentiras e enganos, era aquilo a pregação do Evangelho para os incrédulos que “lideravam”, “negociavam” e “manipulavam” o reino, que aqueles manipuladores entendiam como sendo o reino de Deus, sendo o reino deles. Estevão não foi um ferido de alma, foi um pregador do evangelho.

Filipe, o apóstolo fervoroso

Um outro nome muito carismático na história de Igreja, foi Filipe. O simples e antenado jovem, e já modelo de fé (um guia na fé, não um deus). Lembram que ele foi um discípulo que, quando os saduceus e fariseus, que compunham o Sinédrio judeu, uma espécie de Vaticano Gospel, perseguiram e dissiparam os cristãos​ de Jerusalém, por conta de seus orgulhos religiosos, este amado Filipe, não se intimidou, e fugiu para Samaria a pregar, a ENSINAR O CORRETO, além de curar enfermos e expulsar demônios, Lembram?! Vale ressaltar que os Samaritanos eram povos de uma grande mistura pagã, então, era necessário que o Espírito Santo agisse com grandes sinais e maravilhas dentre o povo!

A mensagem da Cruz não é o dízimo, ponto.

O povo não era impelido a pagar dízimo para ser curado ou enriquecer ou ser bem aventurado na vida, etc! Não. Os apóstolos sabiam que a pregação do Evangelho não é dízimo! Filipe carregava consigo a verdadeira mensagem de alegria, paz e justiça aos povos, que é Jesus sem dízimo, sem negócios, sem coerção, sem manipulação celular.

O evangelho, porém, não era apenas um privilégio para os pobres com várias ações sociais, achando haver méritos ou finalidade única e principal do Evangelho cuidar apenas de moradores de rua. Não. Algumas vezes vimos a Jesus atendendo às pessoas ricas e algumas figuras cultas e públicas como o Jovem Rico, Zaqueu, Cornélio e Nicodemos.
Lembrando que Filipe não tinha uma igreja, um templo, nem uma equipe, mas isso não o impediu de testemunhar de Cristo com ousadia na fé, a sua autoridade espiritual vinha do Espírito Santo (ler capítulo 8). E, vc, cristão, pastor, líder, igreja brasileira, ainda fica nessa de esperar tanta “burocracia religiosa” às vezes para fazer qualquer coisinha fora da Igreja? (brincadeira)!!! (Desculpem). As necessidades e milagres estão lá fora na vida de muitos necessitados!

O evangelho desviado desta geração

Assim que Pedro e João ouviram que Filipe estava cheio do Espírito Santo em Samaria, porém trabalhando com grande esforço, estes correram para lá, não para “disputar um projeto ou ideia gospel” para concorrer com o marketing ou a fama de Filipe em Samaria, como a gente vê no “evangelho desviado de hoje“, mas para ajudar o irmão numa congregação de fé e solidariedade! A isso a Bíblia chamou de “igreja” e a sua primeira perseguição, e lucas narrou com muita habilidade este livro extraordinário que podemos ler ( e meditar) diariamente, encontrado tesouros e riquezas sólidas e concretas para a nossa fé. O fundamento das coisas é mais importante do que as coisas viciadas! Por isso isso a Rocha em que se firmavam os apóstolos da Bíblia, não eram os seus negócios, ou dinheiro ou fama ou a multidão ou projetos dos mais diversos. A Rocha Eterna é Jesus! Por isso eles resolveram seguir a Jesus rompendo com o a pseudo autoridade religiosa do primeiro século, aquela havia se corrompido, assim como várias pseudoautoridades religiosas de hoje também!

A descontaminação religiosa

Ah, e, quase esqueço de João Batista, o qual eu peço licença para considerá-lo o nosso primeiro mártir na fé, de fato. Ele perdeu a cabeça lembram? Ele não era um desviado do evangelho só porque dizia para o povo desviado ou incrédulo se arrepender! Aquele homem, seria considerado um louco em nossa geração. Os religiosos também o chamariam de rebelde e de ferido de alma, etc! (tsc)… Só intriga da oposição religiosa e viciada!! JESUS considerou o nosso amigo JB, o maior de todos os homens!😳
Isso mesmo! Logo ele, né um anônimo de seu tempo?!!

Viu como é o Evangelho? É preciso amadurecimento para ouvi-lo e uma descontaminação religiosa para vivê-lo e pregá-lo! 🛐
Por favor não se ofenda com o “Verdadeiro Evangelho”.

Pr. Cláudio Santos



Claudio Santos

Claudio Santos

Fundador das Missões Adore e da Escola do Reino no Brasil, que é um braço direito da missão. Com mais de 30 anos de vida cristã, Claudinho, além de missionário, é escritor, professor voluntário, músico e conferencista. Tem formação em teologia, missiologia, ministério pastoral e capelania priosional. Membro do Conselho de Pastores de SP. Atualmente é aluno mestrando em missiologia. #quevenhaoteureino; #missõesribeirinhas. #missõesurbanas


Deixe seu comentário!