A Reforma Evangélica

Deixando o vício religioso


A Reforma Evangélica

“O Verdadeiro Evangelho se concretiza quando seguimos a “CRISTO” e não às tradições de uma religião ou às distrações de alguma instituição religiosa cheia de ativismos irrelevantes ou secundários.”

Vimos no artigo anterior sobre a reforma praticada por João Batista e por Jesus, que os apóstolos seguiram a visão de Jesus sobre o reino dos céus. E, que os mesmos entenderam muito bem o recado do Mestre, que não era retornar para um sistema religioso separado das demais nações dentro de sinagogas. Era necessário sair da caverna! E, eles o fizeram!

Que, João Batista cumpriu o que estava profetizado por Isaías 40, uma voz que clamava no deserto. A reforma do Evangelho deixava bem clara que a lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele. (Lucas 16:16).

Vimos que João Batista, Jesus e os apóstolos não poderiam ser antissemitas com o pretexto da pregação do arrependimento de pecados e da ressurreição e mudança nos serviços para o reino de Deus, sobretudo o amor ao povo próximo desigual ou necessitado, que estava abandonado por Israel.

Vimos que Jesus cumpriu as profecias e a Lei, quando ele se apresentou ao seu povo como o Messias de Isaías 61 em Lucas 4:14-30. Era uma da mais importante no reino de Deus!

Também vimos que Estevão confrontou o sistema religioso de sua época, seguindo às orientações do Mestre Jesus. Estevão revelou que, a partir dali, o templo estava dentro de nós, e não mais em Jerusalém. Logicamente, se comportavam com covardia para não ouvir que a reforma religiosa (ou espiritual) para a nação judaica havia chegado. Esse marco histórico mudaria o serviço do reino. E, as mudanças sempre recebem resistências, seja por causa do orgulho, seja por causa do conforto que a inércia provoca de forma viciada. Nesses casos de desespero absoluto, o melhor a fazer é apedrejar. E, foi assim que os religiosos dissiparam a fala de Estevão, mas que ecoa até os dias de hoje dentro dos corações dos filhos de Deus, que entenderam a dinâmica do reino.

Também vimos que Pedro liderou o corte epistemológico que os apóstolos fizeram com o Sinédrio. Os apóstolos não podiam caminhar juntamente com a religião e da fé “institucionalizada”, então romperam com a tradição. E, nem por isso pecaram ou foram rebeldes, como se prega hoje em púlpitos manipuladores da fé).

Apesar de que Pedro teve uma importante revelação e tarefa no cenário desta reforma. Não foi dado a ele nenhuma chave ou bastão em “particular”. Nada era mais exclusivo. Pedro já havia sido treinado para descer do salto, arregaçar as mangas, se misturar com a igreja, e sair em busca de uma pescaria sem mais burocracias. Deus não está numa caixinha controlada por nenhum ser humano ou ritual religioso.

Na reforma que Paulo andou implantando sobre as mentes judaicas, romanas e gregas era que havia o Espírito Santo para comandar o homem no espírito, na razão e no corpo. Que, a circuncisão não era mais carnal, e, sim no coração. Que, a salvação veio dos judeus, mas que o Salvador veio do céu! As reformas eram implacáveis! Amadas por poucos, odiadas por muitos.

Porém, os Apóstolos da Bíblia não retrocederam. Não saíram construindo igrejas por aí, mas renovando as mentes do povo.  Eles foram chamados para pescarem almas, não tijolos, apesar de que deva haver um lugar para parar, orar, ter comunhão. Mas, como Estevão disse, a partir de agora, isso poderia ser realizado em qualquer lugar possível, desde que a igreja congregasse uma mesma fé.

Mentes Renovadas em Cristo

As mentes renovadas precisam de um lugar para se reunirem, orarem, aprenderem e ensinarem. Contudo foram ensinados a não se tornarem clubes particulares e privativos de algumas poucas famílias! Às  reuniões em lugares outrora chamados de “sinagogas” pelos judeus, foram mais tarde tidas como modelos para as construções de igrejas pelos novos cristãos judeus, gregos e romanos, logo após a partida dos primeiros discípulos no século I a.C.  Estas igrejas não tinham mais a mentalidade fechada das sinagogas judaicas. Agora seriam comissionadas à agências, e agências de mudanças, destinos e culturas terrenas para cultura do céu entre TODAS as nações! Os apóstolos deixaram um legado missionário. A igreja de verdade deve ser fundada como agência missionária, caso contrário, perde a sua essência, e obviamente precisa nascer de novo!

Os reformadores de nossa era como John Tauler, J. Wicleff, John Huss, e Jerônimo Savarolla, e William Tyndalle, John Knox, Lutero e Calvino, dentre outros nomes nobres e corajosos, compreenderam isso, e, também, tiveram que romper com autoridades religiosas de suas épocas, preferindo abrir mão das heresias e abusos religiosos de seus dominadores para cumprirem a autoridade da Bíblia, que os conduziam à verdade da semeadura do Reino de Cristo para os que nada conheciam.  Desde a pré-reforma até a reforma foram aproximadamente uns 300 anos de luta, dor, sofrimento, derramamento de sangue, humilhação e mortes aos seguidores de Cristo.

Antes de morrer queimado, e ver todos os seus escritos rasgados e destruídos em praça pública pelos romanos, Huss orou assim “Senhor Jesus, por Ti sofro com paciência esta morte cruel. Tenha misericórdia de meus inimigos”.

Certamente que os cultos desses homens não eram cinco músicas, dízimo, pregação e pizza. Era um verdadeiro “serviço” em nome do Rei Eterno, também conhecido como culto ou cultivo ou adoração.

Igrejas são Agências Missionárias

O Brasil paga por suas raízes espirituais e culturais indígenas e africanas, e por suas raízes do catolicismo romano deixado por Portugal, e ainda tem o vicio de seguir as culturas evangélicas americanas. Enquanto não mudar as paixões antigas e culturais herdadas, somente rodeios e rotinas ritualísticas acontecem na igreja. Nada mais. Por isso Romanos 12 nos convida à “Renovação Mental”.

É uma “Metamorfose”. Uma quebra de tabus, e de tradições (não de leis e estatutos ou princípios espirituais), mas de estilo de vida, como os apóstolos fizeram e ensinaram a igreja a fazer, através do Espírito Santo!
A missão da igreja não é transformar os povos e nações em cristãos ou em judeus, mas em “salvos” da ira de Deus, através do arrependimento de pecados, confiando a vida Naquele que comprou o sangue de cada vida na Cruz!!!
Se uma igreja não nasceu para ser Missionária, ela não entendeu nada do que Jesus disse! Então, essa igreja precisa “nascer de novo”. As almas valem mais do que coisas. Por isso Jesus chamou “pescadores de almas”

Este é mais um dos principais motivos pelos quais a igreja evangélica precisa de uma reforma!! Nascer de novo. Deixar de ser “clube”, para ser “igreja”.

Jesus é o Cabeça da igreja

E, aos que confiarem “Naquele Que Tudo Pagou”, que é JESUS para os cristãos, e MESSIAS para os judeus, a estes “salvos” lhes será acrescentado direito a entrar nas Bodas do Cordeiro único, que elimina o pecado do mundo.
Anunciar a Cristo a todas as nações, é um privilégio que somente os “salvos da ira” de todos os povos, tribos, raças línguas e nações podem ter!

Você tem um grande privilégio nas mãos, e no coração. O Espírito Santo é o Guia que você precisa. Ele esteve no passado, está no presente, e estará conosco (judeus e cristãos) no futuro!
A cobertura espiritual dos apóstolos vinha do Espírito Santo, e de muitas outras orações intercessora a de pessoas pobres, e humildes! Não vinha de instituição alguma. Nesse sentido de cultura do céu, caminharam os apóstolos também!
A cobertura espiritual dá igreja não vem de Paulo, nem de Apolo, nem de Pedro, enfim, de nenhum homem, apesar de estes foram “modelos” ou “exemplos” de fé, como está lá e em hebreus!!
Mas, o cabeça da Igreja é Cristo para que ninguém se ensoberbeça!!
A missão da igreja é levar esta mensagem de salvação aos povos de todos os lugares e de todas as idades.

Você precisa ser “descontaminado” do “ILUMINISMO EVANGÉLICO”. Sabe o que é isso? O homem é o “centro” de tudo!! Todo o poder está concentrado enganosamente no ser humano, na pessoa de Nabucodonosores.
Fuja do iluminismo evangélico, do ufanismo, da opressão! Você é de Cristo!

É necessário haver uma Reforma na mente do filho de Deus, de forma que vc seja descontaminado deste mundo holístico, para que Cristo volte a ser o Centro de Tudo Dentro de você.#Cristoncentrismo

Por não saber distinguir quem é a Autoridade Espiritual da igreja, depositando a sua fé em seres humanos e controladores, é mais um motivo para a nova reforma da igreja. .#NãoSeDistraia!

Exclusão de Israel?

Muitas igrejas evangélicas desprezam o povo judeu ou se comportam com indiferença em relação à fé daquela nação.
Uma pena que muitos religiosos se desinteressam pela pregação sobre os judeus, por causa da mentalidade religiosa provocada pelo próprio Lutero, na última Reforma, século XVI, fruto da cosmovisão de seu tempo!!

Por falta de amor ao povo judeu, e pela exclusão dessa nação pelos cristãos evangélicos também. Digo, por excluir Israel do Reino Eterno, é que a igreja, também, precisa de uma Nova Reforma, para entendermos melhor sobre o Reino de Deus!
Parece loucura, mas é verdade! Você não nasceu para “acompanhar” as Escrituras, mas para “cumprir” as Escrituras, e o que nela estiver “revelado” (Dt. 29:29). Foi isso o que Jesus fez, e os apóstolos também.

A mensagem do Evangelho não é “dízimo”, nem “sucesso”, é Arrependimento e Vida Eterna.

A busca por emoções, se fortalece dentro dos templos. De um lado, os cristãos emocionais, omissos, e carentes de conhecimento, que tão nem aí para o reino, ao passo que a liderança, ainda sem preparo, abraça o modelo mais conveniente para desafogar emoções. Evangelho mesmo, nada!! #CorridaAtrasDoVento
De clubes, o Brasil está cheio, e repleto de torcidas!

A busca por colocar o empreendimento evangélico na mídia (a igreja) está na moda. E, muitos são os seguidores que desejam sem ricos ou estrelas gospel. São “muitas emoções”, mas, essa não é a mensagem do evangelho. É por essa e outras razões que a igreja precisa de uma nova reforma, sobretudo pela correria atrás do vento.

Nunca meça uma igreja por seu tamanho! A igreja de Jesus começou só com doze pessoas, dentre estes, alguns homens eram simples pescadores, incultos, sem nobreza, nem honra, nem carrões, nem mansões. Mas, entenderam direitinho a mensagem do Reino de Deus. Entenderam tão bem, que o Evangelho chegou até nós da forma como Jesus ensinou!!!! Agora é a sua vez de fazer como eles fizeram! A mensagem do Evangelho não é “dízimo”, nem “sucesso”. A mensagem de Jesus é Arrependimento e Vida Eterna. No Reino de Jesus, o único grande nome é o Dele!

Alguns motivos para a Nova Reforma, dessa vez dentro da igreja evangélica:

– As almas valem mais do que tijolos. Por isso Jesus chamou “pescadores de homens”

– Não é pelo tamanho de sua religião ou denominação que vc será conhecido pelo Rei Eterno, e sim pelos “seus frutos”. O que você (em particular) tem apresentado de frutificação para os solos ainda infrutíferos da terra?

– A igreja não é um lugar, são pessoas reunidas em nome de Jesus;

– Seguir só a Escritura: a Bíblia é a fonte de descobrir a Verdade. E está acima de qualquer autoridade humana ou artigo escrito que se refira à fé cristã.

– Seguir só a Graça: nossos méritos não valem! Não existe outra forma de alcançar o reino dos céus, a não ser pelos méritos dá Cruz, de nada mais ou ninguém mais!

– Seguir só a fé: não há outro meio, métodos ou modelos de fé, que não sejam aquela dada por Deus a nós! Nem a fé faria do homem alguma celebridade no céu se do céu não houvesse recebido.

– Seguir só a Cristo: o Ungido de Deus. Não existe outro Nome ou Autoridade a quem devemos confiar as nossas vidas, proclamando-o como Rei de Justiça.

– Dar a glória somente a Deus
A glória não de ninguém mais. Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas!

– Sumo Sacerdote não é o papa gospel, nem o bispo, nem o apóstolo!! É JESUS!

– Apóstolo não é o que “governa”, e, sim aqueles desbravadores da igreja que estiveram com Jesus(inclusive Paulo de Atos 9)! E, todos os que foram “enviados” depois, inclusive a igreja!!

– Pastor não é quem prega, é aquele que cuida! Missionário não é quem viaja, é aquele que transmite o Plano (não um método qualquer), Mas o Plano, O Plano de DEUS!!!
Lembrando que a primeira reforma da vida deve sempre começar dentro de nós. É de dentro para fora!!!

– Antes de Jesus “reinar sobre a vida dos outros, Ele deve reinar dentro de nós!!!

– Cada vez mais é necessário refletirmos que não podemos ser simples “clientes” de igrejas, mas “agentes” de transformação espiritual em nossa sociedade.

– O Evangelho do Reino não é para se fazer o nome da instituição ou o nome do líder da instituição conhecido, e sim o nome de Jesus.

– E, por fim, a igreja (o prédio ou a instituição) não é o fim, mas é apenas um dos vários meios de se pregar o evangelho.  Mas, ninguém está proibido de fazer isso fora do prédio.
Mas, isso “o quê?”. R – “Pregar o Evangelho”.

Mas, a fundação ou o crescimento da igreja (a instituição) pode surgir ou se transformar num fim em si mesmo, ou seja, um mero clube oferecendo vários serviços públicos. Se não houver princípios bíblicos e adesão à verdade de Deus, tem-se qualquer coisa, menos igreja de Jesus Cristo. Se não houver atuação do Espírito Santo, transformando o pecador em filho(a) de Deus, ainda que haja moralidade, princípios elevados e caridade, você tem apenas um ajuntamento humano, ou um clube comum, não a igreja de Jesus Cristo.

Conclusão

O Evangelho não podia ser dependente de likes, porque os apóstolos não estavam interessados nas coisas da terra!
Evangelho é confronto de mentalidade e de fé.

– significa mudança,
– gera novo conceito de vida,
– quebra paradigmas, expõe o caráter,
– denúncia a inércia e a ineficácia do serviço.

Ninguém curtiria o Verdadeiro Evangelho, mas isso era irrelevante para Cristo e para os apóstolos.

O Verdadeiro Evangelho se concretiza quando seguimos a “CRISTO” e não às tradições de uma religião ou às distrações de alguma instituição religiosa cheia de ativismos irrelevantes ou secundários.
.
O Evangelho não é uma terapia ocupacional para grupos fechados de crentes! Isso a ciência ou as prefeituras podem se ocupar a fazer.
.
O Evangelho também não é uma Bolsa de Valores ou Casa de câmbio onde se troca moedas por bênçãos. Isso é uma vergonha!
.
O Evangelho que Cristo pregou é uma “Revolução do Reino” para as nações ao fazer o Nome de Jesus conhecido até os confins da terra!! E, isso não é uma simples opinião, é a dinâmica das Escrituras. Mudanças na mente, nos métodos, na comunicação, e nos relacionamentos até com Samaritanos, publicanos, impuros, pagãos, pecadores, etc. O modelo de Cristo é diferente dos antigos modelos de fé e serviços!

Reflexão

Amados evangélicos, REPENSEM nisso! Jesus não disse: “voltem para dentro de suas sinagogas, e se tranquem em nome de suas tradições”. Não mesmo! Ele chegou para promover mudanças no reino!

Então, Ele disse: “Vão para as nações, e anunciem que o reino dos céus é chegado para todas as nações, e usem com a Autoridade do Meu Nome, na força do Espírito Santo!”

Até a próxima, Corpo de Cristo!



Claudio Santos

Claudio Santos

Pastor fundador das Missões Adore e da Escola do Reino no Brasil, que é um braço direito da missão. Com mais de 30 anos de vida cristã, Claudinho, além de missionário, é escritor, professor voluntário, músico e conferencista. Tem formação em teologia, missiologia, ministério pastoral e capelania priosional. Membro do Conselho de Pastores de SP. Atualmente é aluno mestrando em missiologia e pastoreia na Missão EDR, em Recife
#quevenhaoteureino; #missõesribeirinhas. #missõesurbanas; #missõessertanejas


Deixe seu comentário!