A teologia do servo

Como posso exercer minha diaconia?


A teologia do servo

Para entendermos diaconia como prática de espiritualidade devemos primeiramente compreender que vivemos em uma época em que a palavra diaconia tem sido interpretada erroneamente, pois muitos confundem o exercício do serviço cristão com o cargo de diácono e esquece-se que servir é uma das principais características de um cristão, tendo como exemplo que Jesus ensinou aos seus discípulos que ele não veio para ser servido, mas para servir (Mc 10:45).

Diaconia como serviço espiritual

O vocábulo diaconia[1] etimologicamente vem do grego diaconai que significa serviço espiritual, embora algumas vezes seja indicação das ministrações físicas aos enfermos e necessitados.  Segundo o Dicionário Brasileiro do Globo Serviço significa o ato ou efeito de servir, trabalho ou função de quem serve[2], podendo também ser definido como a disposição, capacidade e poder dado por Deus para alguém servir e prestar assistência prática aos membros e aos líderes da igreja, sendo a verdadeira fé em ação a serviço da igreja, da comunidade e da sociedade.

Cresce-se no Reino a partir do serviço

O homem é capacitado para o serviço cristão pelo Espírito Santo com dons e talentos que devem ser usados visando o serviço do Reino. Um talento é uma habilidade humana e natural com a qual se nasce ou é adquirida e pode ocorrer nas áreas da: música, oratória, administração e outras.  Já um Dom é um presente divino dado para ser usado no serviço Cristão. Geralmente recebemos dons que se enquadram com nosso talento e formação de vida, como no caso de um músico profissional. Ao converter-se fatalmente ele pode receber o dom da música e assim utilizar o seu talento natural na Igreja local para a glória de Deus.

Contudo muitos cristãos não desenvolvem seus dons, pois não valorizam seus talentos, outros ficam angustiados porque não sabem para que Deus os chamou, outros valorizam apenas os dons de poder e resumem os dons espirituais a Línguas, Interpretação e Profecia e como não receberam estes carismas consideram-se como crentes sem dons, pois pensam que os seus dons mais interiorizados são apenas talentos naturais, entretanto se esquecem todo o cristão recebe pelo menos um dom que deve ser usado para o exercício diaconal. Porém alguns erroneamente creem que só são espirituais aqueles que receberam dom ministerial, ou dons de poder. Uns consideram mais espirituais aqueles que exercem o dom de profecia do que os que exercem o dom de misericórdia (Rm 12:7). Ninguém é inútil, todos os membros têm o seu valor, pois todos devem exercer o serviço cristão, por meio do dom que recebeu.

Diaconia: serviço para todos

Diaconia é a fé em ação, é uma prática de espiritualidade que significa disciplinas da vida cristã; sendo o serviço uma das facetas de um homem espiritual.

Para muitos só deve servir quem tem ministério, ou é ordenado, entretanto analisando o grego do Novo Testamento, observamos que havia quatro expressões para designar um ministério Arché (que significa Liderança), Teolos (que significa perfeição), Timé (que significa dignidade) e Leitourgia (que significa serviço ou engajamento em prol do corpo). Com base nos ensinamentos de Cristo, podemos observar a importância do Servir (Mc 10:45) e que todos os membros do Corpo de Cristo são importantes até mesmo os que são considerados os mais fracos. “Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários” (I Co 12:22).

Você foi moldado por Deus para servir na comunidade eclesial

O serviço é a justificativa de um servo, Fomos chamados por Jesus para sermos servos de Deus, e assim nos colocarmos na posição de servo do próximo (II Co 4:5; Gl 5:13). “Servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus” (I Pe 4:10). O Senhor nos moldou e nos concedeu dons (I Co 12:8-11; 28-30; RM 12:6-8; EF 4:11-12) para que sejam usados, visando o serviço através da multiforme graça de Deus. Esta graça manifesta-se em nossas vidas à medida que somos fiéis a Deus servindo tanto ao Senhor como ao próximo, com nossos dons e talentos. E assim assumindo uma posição incondicional de servos de Jesus Cristo e tendo os seus ensinamentos como paradigma de vida.

Jesus resumiu os mandamentos da lei em dois: “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu entendimento e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, e; amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outros mandamentos maiores do que estes”. (Mc 12: 30,31). Diante do exposto, a mensagem clara da Igreja do Novo Testamento pode ser analisada no Didaque (catecismo dos primeiros cristãos, escrito no fim do Século I), que retrata o modo de pensar da Igreja Apostólica: “O Caminho da vida é este: Em primeiro lugar, ame a Deus, que criou você. Em segundo lugar, ame a seu próximo como a si mesmo. Não faça a outro nada daquilo que você não quer que façam a você”. Esta é a base do sublime ensino apostólico: 2“Que a sua palavra não seja falsa ou vazia, mas se comprove na prática. ”[3]

O Serviço deve expressar nossa espiritualidade

As pessoas que servem ao Senhor motivadas pelo Espírito Santo, fazem por vezes o que os outros fazem simplesmente por motivos humanitários, pois sem dúvida o poder espiritual resulta num serviço cristão mais eficaz para que em tudo Deus seja glorificado por intermédio de Jesus Cristo.

Conta à história que em um determinado hospital um certo visitante, observava como uma enfermeira missionária tratava e lavava com carinho as chagas asquerosas de seus doentes e exclamou: “Eu não faria esse trabalho nem por um milhão de dólares”. Imediatamente a missionária respondeu: “Tão pouco eu também não o faria por um milhão de dólares, mas faço-o por amor a Cristo”. No reino de Deus, servir não é trampolim para o crescimento ministerial, mas é em si mesmo um nobre exercício, pois aquele que serve torna-se como o mestre. Infelizmente muitos têm a oportunidade de servirem e se omitem, negligenciando assim o exercício da Diaconia cristã que se consiste em que usemos os nossos dons pessoais a serviço da igreja, da comunidade e da sociedade.

Enfim, o Serviço Cristão é o caminho para a verdadeira espiritualidade, pois nele encontramos o caminho da maturidade espiritual que não deve ser encarado como um fim em si mesmo. Afinal crescemos para nos doar em prol dos outros e com isto experimentar o caminho da humildade: Servir.

[1] MARTINS, Orlando. Diaconia: o serviço da mordomia. AD Santos: Curitiba, 2016.
[2] FERNANDES, Francisco. Dicionário Brasileiro do Globo. Ed. Globo, São Paulo- SP, 45ª Edição, 1996.
[3] Didaque: o ensino dos primeiros apóstolos. Disponível em <http://www.recantodasletras.com.br/artigos/3537110>. Acesso em: 4 nov. 2017.

*Este artigo faz parte do meu livro “Diaconia Cristã– O Serviço da Mordomia“, se você desejar saber mais dele clique aqui www.adsantos.com.br



Orlando Martins

Orlando Martins

Vice-presidente da AD Mais de Cristo em Florianópolis, Pastor-Auxiliar, Bacharel em Teologia e Jornalismo. Especialista em Educação, Mestrando em Teologia na EST. Escritor, Diretor da Faculdade Mais de Cristo. Professor universitário e de matérias teológicas em seminários e faculdades no estado de Santa Catarina. Casado com Cleusa de Oliveira Martins. Pai de Larissa Eduarda de Oliveira Martins.


Deixe seu comentário!