Afinal, Jesus era de direita ou de esquerda?

Nós cristãos precisamos nos posicionar do lado de Jesus.


Afinal, Jesus era de direita ou de esquerda?

Um tempo atrás o sempre polêmico grupo “Porta dos fundos” fez mais um vídeo falando de religião, desta feita a encenação mostrava um Jesus que era confrontado em seus discursos sendo chamado de Esquerdista pelos seus ouvintes.

No vídeo as falas de Jesus eram todas citações bíblicas tiradas do contexto em que foram proferidas pelo Mestre, mas ainda assim algo chamou bastante atenção, o desejo de posicionar Jesus à uma corrente ideológica política.

O problema é que o “Porta dos fundos” cai no grande mal dos nossos tempos, a síntese exagerada de ideias. Dizer que Jesus seria marxista com base em falas soltas espalhadas pelos evangelhos e afirmar que isso corresponde a todo o pensamento esquerdista é no mínimo incoerência para não dizer leviandade.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


Em sua totalidade o pensamento Marxista jamais corresponderá aos ensinamentos de Jesus se estes forem vistos em profundidade. A questão é que o reducionismo tem sido o grande mal da nossa atual sociedade no que diz respeito à análise das ideologias sejam elas quais forem.

A tentativa do grupo “Porta dos fundos” em colocar Jesus em uma assumida posição de Esquerda política não visava usar a autoridade dele para reafirmar tal posicionamento – como faz os defensores da Teologia da Libertação ou da TMI por exemplo –  a ideia ao meu ver era debochar do pessoal de Direita que confere a Jesus a base de seu discurso.

Mas afinal, Jesus se posicionaria de que lado? Ao que corresponde na realidade os ensinamentos de Jesus?

O pastor e teólogo anglicano, o britânico John Stott, falecido em 2011, falando sobre o posicionamento político de Jesus dizia que: “Ele (Jesus) tem uma posição política que não pode ser encontrada em nenhuma das que os homens criaram. É algo além, fora dos parâmetros humanos”. Os ideais de Jesus são elevados, mas, ao mesmo tempo que podem parecer utópicos, são plenamente passíveis de serem realizados.

Seus ensinos valorizam o ser humano como obra prima da criação, e ao mesmo tempo colocam Deus como centro da existência humana. Isso faz com que Esquerda e Direita política tentem usurpar sua fala para si, cada qual dando ênfase a apenas um desses aspectos, que para Cristo se harmonizavam. Como bem disse Stott a posição sócio-política de Jesus é algo além.

Nós cristãos precisamos nos posicionar do lado de Jesus. É triste vermos nossos irmãos em Cristo tomando posições políticas opostas ao de nosso Senhor, trazendo-o supostamente para seu lado ao mesmo tempo em que, de certa forma, demonizam o lado oposto dos seus.

Um cristão tem um único posicionamento político, o de atentar para a dignidade humana e priorizar a glória de Deus como Jesus o fez. Isso significa, dentre outras coisas, não idolatrar posições políticas sejam elas quais forem.

Aristóteles disse que o Homem é um animal político, ou seja, queira ou não, estamos inseridos em uma sociedade e devemos ter uma participação ativa na mesma. Mas é bom que não esqueçamos que antes de sermos cidadãos de uma pátria terrena, somos cidadãos do Céu.



João Eduardo Cruz

João Eduardo Cruz

Pastor da Primeira Igreja Batista em Planalto Caucaia - Ceará. Professor. Teólogo; Autor dos livros "Como o nascer do sol"(Editora Premius), "Onde está Deus? - Crendo em Deus em um mundo descrente"(Abba Press), "Sentindo a Vida" (Editora Reflexão), "O que as crianças nos ensinam sobre Deus (Garimpo) e "Jesus e os descaminhos da Igreja" (Garimpo).


Deixe seu comentário!