Até onde devo perdoar meu namorado?

Amados, queremos começar apresentando o casal Geisa e Paulo Vinícius que vem trilhando uma linda história de amor e superação...


Amados, queremos começar apresentando o casal Geisa e Paulo Vinícius que vem trilhando uma linda história de amor e superação de vida. Oriundos de uma vida distante de Deus, eles se voltaram para o Senhor e Ele os presenteou com um lindo amor. Juntos caminham em direção ao altar.

O tema desta semana é: será que há limites para o perdão?

Hoje qualquer discussão tem virado motivo para dá um tempo, ou desistir da caminhada amorosa. Muitos, ingenuamente, acham que o relacionamento perfeito é aquele que não traz decepções ou frustrações.


  Realize o Seu Sonho de Tocar Piano sem Sair de Casa. Comece Agora!


Todos sabem que decidir se relacionar com alguém é um desafio de convivência. Mesmo cheios de amor um pelo outro, somos diferentes, viemos de famílias e culturas distintas, geralmente temos temperamentos diversos, rotinas e formas de encarar a vida diferenciadas. Pense então neste turbilhão da diversidade: é o namoro.

Todo mundo rapidamente se prepara para receber carinho, reconhecimento, compreensão, companheirismo e tudo que só o amor pode nos propiciar. Mas só de flores vive um relacionamento? Claro que não.

A primeira pergunta é: Você está preparada para se decepcionar com seu amado? Qual é o seu nível de tolerância para atitudes que possam te frustrar, decepcionar, entristecer, ferir ou irritar? No mundo, e não tão diferente na igreja, percebemos que as pessoas tem tido pouca paciência com o outro. Não é a toa que solteiros vem com a conversa que estão esperando a pessoa certa, mas que na verdade, só querem alguém que não lhe dê trabalho, nem que implique em um esforço. Querem apenas receber e nada de dificuldades. Aí de uma, duas: ou ficam esperando para o resto da vida, ou quebram a cara e acabam estabelecendo relacionamentos superficiais.

A mais dramática das perguntas que possamos fazer no curso de namorados é: Se seu amado te trair, você perdoaria? Aiaiaiaia… Aí está o centro da questão.

Não falamos que ao ser traído você continuaria se relacionando. Essa decisão caberá a você. Estamos falando em perdão.

A jornada amorosa é cercada de pedregulhos de decepção que de vez em quando tomamos uma topada. Dói, claro, mas isso não impede que prossigamos. Perdoar é uma arte, uma decisão, uma postura espiritual.

Para Josué Gonçalves, conferencista e terapeuta familiar cristão, em seu livro – O Poder curador do Perdão, da coletânea Família: meu maior patrimônio!, “Perdoar é descansar a alma na graça do Eterno. Quando eu perdoo, estou dizendo não ao orgulho e sim para o amor sacrificial. É impossível conviver sem praticar a arte do perdão. Não perdoar é perigoso, porque quem não perdoa desenvolve dentro de si a raiz da amargura. A única saída para a reconstrução de um relacionamento quebrado é o perdão”.

Seja prudente, reserve uma margem de decepção para seu amado. Todos nós temos defeitos e precisamos ser encorajados a superá-los. Minha fraqueza, meu defeito, passa ser também de meu amado, pois estamos juntos nesta jornada espiritual. Precisamos ajudar um ao outro para agradarmos a Deus. Todos nós precisamos da misericórdia divina. Assim não cabe atitude de acusação nem de achar-se mais espiritual do que o outro. Quando vou mal, meu namoro vai mal. Assim todos estão envolvidos tanto no bônus do amor, quanto no ônus de seu preço.

Às vezes, nos deparamos com atitudes que nunca imaginávamos que nosso amado fosse capaz de fazer. Outrora tomamos atitudes que nos enchem de vergonha, pois não acreditamos como fomos capazes de errar daquele jeito. O segredo está na humildade, na franqueza e no reconhecimento que precisamos se aproximar mais de Deus. Depois do Senhor, a melhor pessoa para você confessar seus pecados e fraquezas é quem você decidiu caminhar ao lado por resto da vida.

É claro que ninguém gosta de se decepcionar, frustrar-se, irritar-se ou ser ferido. Quando isso acontece, precisamos de um tempo para respirar, digerir e encontrar forças e sabedoria para…Perdoar.

Sim, o Perdão é:
Decidir ao invés de esconder;
Oferecer compaixão ao invés da violência; (Ef 4. 31-32)
Confiar ao invés de desistir;
Controlar-se ao invés de explodir;
Abençoar ao invés de amaldiçoar; (Gn 50. 15-21)
Liberar ao invés de aprisionar;
Compreender ao invés de sentenciar;
Tolerar ao invés de massacrar;
Acreditar ao invés de desprezar;
Ensinar ao invés de punir;
Encorajar ao invés de vingar-se;
Dar uma nova chance ao invés de dar um troco;
Semear Misericórdia ao invés de Amargura; (Tg 2.13)
Voltar-se pra Deus ao invés de dar brecha ao diabo; (2 Co 2.10-11)
Oferecer amor ao invés de ódio;
Joga fora o que é ruim ao invés de reter o que é mal; (Hb12.15)
Viver o presente ao invés de se prender ao passado; (Miqueias7.19)
Oportunizar ao invés de abandonar;
Conviver ao invés de segregar;
É Cristo ao invés da morte. (Mt 18:32-35)

Que Deus guarde vossos corações para serem habitat exclusivo Dele.

Curso de Namorados inicia sua jornada ministerial

Ministério de Namoro

O Ministério de Namorados iniciou suas atividades em sua aula inaugural neste último domingo (08/03). Foi uma manhã de louvor, comunhão, expectativas e homenagens as mulheres. O curso terá duração de nove meses e recebe casais de namorados cristãos de diversas igrejas.

Maiores informações no site www.ministeriodenamorados.com



Gustavo e Myllene

Gustavo e Myllene

Gustavo Mercês e Myllene Ramalho, são casados e líderes do Ministério de Namorados da Igreja Batista Missionária da Independência em Salvador-BA. Gustavo é Relações Públicas e Historiador. Já Myllene Ramalho é Assistente Social. Ambos estão no Ministério de Namorados desde 2012.


Deixe seu comentário!