MENU

Autênticos judeus e rabinos crentes em Jesus

"E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira..."


Autênticos judeus e rabinos crentes em Jesus

Jesus, seus apóstolos e seguidores, tanto em Israel ou no exílio, nunca fundaram uma nova religião, mas defenderam o conhecimento lógico e prático das Escrituras visando o ensino real da vontade do Eterno para o povo judeu e gentios enxertados na Oliveira.

Até os dias de hoje podemos encontrar judeus natos, de famílias tradicionais, que reconhecem naturalmente a messianidade de Jesus e nesse contexto gostaria de compartilhar uma lista de judeus ortodoxos e de grandes rabinos autênticos que creram e deram testemunhos de que Yeshua é realmente o messias de Israel.

Leia mais

Rabino Daniel Zion

Rabino Daniel Zion foi um dos rabinos-chefes de Sofia, Bulgária, durante a Segunda Guerra Mundial e um crente judeu. Ele foi avisado sobre o holocausto em uma visão do Mestre, e ele ajudou a salvar 800 judeus de Sofia dos nazistas, mas foi-se internado em um campo de concentração em 1943. Em 1949, emigrou para Israel.

Rabino Yechiel Tzvi Lichtenstein

Yechiel Tzvi Lichtenstein era um crente judeu do século XIX a partir de uma instituição Chasidica. Enquanto estudava na Yeshiva, ele se tornou um discípulo de Yeshua de Nazaré. Ele serviu no Delitzschianum Judaicum Institutum como professor de ciência rabínica e escreveu vários livros e comentários incluindo refutações de obras anti-missionários.

Abram Poljak

Abrão (Bram) Poljak (1900-1963) era um judeu ortodoxo que viveu na Ucrânia. Um prodígio musical, Poljak tocava violino para o Czar com a idade de oito anos. Quando jovem, ele se mudou para a Alemanha e seguiu o trabalho como jornalista. Os escritos de Leo Tolstoy o levou a fé em Yeshua. Depois de uma milagrosa libertação de uma prisão nazista, ele emigrou para Israel no período entre as guerras e contribuiu para o pioneirismo do século XX, o movimento judaico messiânico em Israel e no exterior.

David Baron

David Baron (1857 – 1926) era um crente judeu, escritor, missionário e co-fundador do testemunho hebraico messiânico para Israel, organização missionária em Londres. Além de escrever vários livros, ele também editou e contribuiu com artigos para seu periódico The Nation. Ele era um líder do judaismo messiânico e dos movimentos hebreus messiânicos do período Haskalah (Iluminismo judaico) na Europa.

Ezequiel Margoliouth

Ezequiel Margoliouth (1815-1894) era proveniente da parte polaca da Rússia e o filho do Rabino-Chefe de Sulwalki. Ele era um estudioso e escritor prolífico que veio a fé enquanto participava de uma yeshiva rabínica em Varsóvia.

Isaac Lichtenstein

Isaac (Ignatz) Lichtenstein (1824 – 16 de outubro de 1909) foi um rabino ortodoxo húngaro que se tornou um crente em Yeshua e não renunciou inicialmente o judaísmo ortodoxo e nem o seu posto de rabino chefe. Ele escreveu vários panfletos defendendo que a fé em Yeshua é compatível com o judaísmo. Eventualmente, a pressão da comunidade o forçou a sair de sua posição como rabino chefe, mas ele nunca aceitou o batismo cristão, nem se unir a uma igreja.

Joachim Heinrich Biesenthal

Joachim Heinrich Biesenthal (Raphael Hirsch) (1800-1886) era conhecido como o estudioso judeu messiânico e um líder em meados do século XIX. Ele teve extensa formação em ciência rabínica e um comando completo da língua hebraica. Além de escrever extensos comentários sobre vários livros da Bíblia, ele escreveu vários outros livros e artigos sobre o cristianismo a partir de uma perspectiva judaica.

Paulo Filipe Levertoff

Paulo Filipe Levertoff (1878-1954) nasceu em uma família judaica ortodoxa com ascendência Chasidica em Orsha, Bielorrússia. Depois de se formar na prestigiosa Volozhin Yeshiva na Lituânia, tornou-se um crente em Yeshua de Natsêret (Nazaré). Ele passou o resto de sua vida trabalhando para a formação de “cristianismo judaico”, um precursor do moderno, o movimento judaico messiânico.

Teófilo Sorte

Chaim Yedidah Teófilo Sorte nasceu em 1854 perto de Stanislau na Galiza. Ele veio a fé, enquanto estudava em Berlim, em meados da década de 1870, enquanto estudava tradução Delitzsch do hebraico.

Ele viveu nos EUA alguns anos durante a década de 1880 onde atuou como co-editor do periódico Inglês povo peculiar e editor do todo-hebraico Eduth le Israel (Testemunho de Israel) antes de se instalar em Stanislau na Galiza. Em 1916, ele partiu para os EUA, a fim de renovar a sua cidadania e liderou um movimento de crentes judeus ortodoxos.

******

Esta lista está disponível no site Vinha de David (Vine of David) que coletou centenas de documentos de judeus crentes em Yeshua durante os períodos do pré-holocausto e início do século XX.

Na atualidade

Ytzchak Kaduri

Yitzchak Kaduri, que também pode ser escrito como; Kadouri / Kadourie (falecido em 28 de janeiro de 2006), foi um renomado Rabino Mizrahi Haredi (ultra-ortodoxo) Kabalista que dedicou sua vida ao estudo da Toráh e a oração em nome do Povo Judeu. Ele ensinou e praticou Kavanot do Rashash. Ele não publicou nenhum artigo ou livro religioso. No momento da sua morte, as estimativas de sua idade variaram entre 106 a 110 anos. (Israel Today, 30 de abril de 2007) Tradução: Aderexi Schmidt

“Logo antes de morrer, um dos mais proeminentes rabinos de Israel escreveu o nome do Messias em uma pequena nota que ele pediu permanecesse lacrada até agora. Quando a nota foi aberta, revelou o que muitos conheceram por séculos: Yoshua ou Yeshua ( J e s u s), é o Messias. O Bilhete foi publicado no site israelense de notícias, Nfc – News1.

As rubricas soletram o nome hebreu de Yoshua ou Yeshua que são efetivamente o mesmo nome, derivam da mesma raiz hebraica da palavra “Salvação”, como documentado em Zacarias 6:11 e Ezra 3:2. (…)

Com um dos mais proeminentes rabinos de Israel indicando que o nome do Messias é Yeshua, é compreensível por que seu último desejo foi que se esperasse um ano após sua morte antes de revelar o que escreveu.

Quando o nome de Yoshua apareceu na mensagem de Kaduri, os judeus extremista-ortodoxos do Nahalat Yitzhak Yeshiva (seminário do rabino) em Jerusalém argumentaram que o mestre deles não deixou a solução exata para decodificar o nome do Messias. A revelação recebeu pouca cobertura na mídia israelita. Só os websites hebraicos News First Class (Nfc) e Kaduri.net mencionaram a nota do Messias, insistindo em sua autenticidade. O diário hebraico Ma’ariv fez uma menção à nota, todavia descreveu-a como falsificação. Leitores judeus responderam em foros de websites com diversificados sentimentos e impressões: “Então significa que o Rabino Kaduri era um cristão?” e “Os cristãos estão dançando e celebrando”… , estavam entre os comentários. O Israel Today falou com dois dos seguidores de Kaduri em Jerusalém que admitiram a nota é autêntica, porém confusa para seus seguidores. “Nós não temos nenhuma idéia de como o Rabino chegou a este nome do Messias”, um deles disse. Outros ainda negam completamente qualquer possibilidade de que a nota é autêntica. O filho de Kaduri, Rabino David Kaduri, disse que na ocasião em que a nota foi escrita (setembro de 2005), a condição física de seu pai impossibilitava-o escrever.”

Com o nome bíblico de Yeshua, o Rabino e kabalista descreveu o Messias usando seis palavras e indicando que as letras iniciais formam o nome do Messias.

“O texto que revela o nome do Messias diz: Ele aliviará ao povo e provará que Sua Palavra e Lei são válidas. Isto é o que registrei no mês da clemência, Yitzhak Kaduri. A oração hebraica (traduzida acima) ocultando o nome do Messias lê-se assim: “Yarim Ha’Am VeYokhiakh SheDvaro VeTorato Omdim.”

A tradução para os dígitos latinos logicamente não corresponderão ao nome de Yeshua, que em hebraico escrevemos ישוע ou יהשוע. Nesse link você poderá conferir o artigo publicado no jornal de Israel News 1.



Casado, consultor de viagens, apologista judaico-cristão. Siga-me no Youtube http://www.youtube.com/c/MaisdeSião

Assuntos: ,


Deixe seu comentário!


Mais notícias