MENU

Bolsonaro na Globo: Pergunta idiota, tolerância zero

O debate sobre as eleições não pode ficar no nível de um FlaxFlu.


Bolsonaro na Globo: Pergunta idiota, tolerância zero

Esta semana esteve movimentada em todos os meios de comunicação.  Parece que estamos vendo uma disputa entre Corinthians e Palmeiras ou Flamengo e Fluminense. Nos jogos de futebol, o resultado pode ser um empate ou uma vitória de um dos lados.  No caso da entrevista do candidato a presidente Bolsonaro, as torcidas de ambos os lados cantam vitórias.

Analisando friamente a entrevista, acho que estou com aquele personagem do programa humorístico da mesma emissora, chamado Seu Saraiva: pergunta idiota, tolerância ZERO!

Leia mais

Várias perguntas idiotas foram feitas ao candidato Bolsonaro. Vejamos algumas deles.

Pergunta idiota: O apresentador perguntou se o casamento do candidato com o provável ministro da economia, Paulo Guedes, seria eterno.  Resposta óbvia: O candidato respondeu o óbvio, dizendo que casamento é para sempre. Mas, como no caso dele, Willian Bonner, que esteve casado até recentemente com Fátima Bernardes, pode terminar.

Pergunta idiota: O homem e a mulher devem ganhar o mesmo salário? Resposta óbvia: Claro que sim, dentro das regras previstas no artigo 461 da CLT: “Sendo idêntica a função, a todo trabalho de igual valor, prestado ao mesmo empregador, na mesma localidade, corresponderá igual salário, sem distinção de sexo, nacionalidade ou idade, entre pessoas cuja diferença de tempo de serviço não for superior a 2 anos”.

Tanto é assim que no magistério, no funcionalismo público e nas empresas privadas que possuem quadros de carreira, o trabalho de igual valor é remunerado igualmente. Em nosso entendimento, essa regra de igualdade contida na CLT é nociva porque nivela todos os trabalhadores por baixo, pelo menor salário.

Se uma mulher produz 100 artigos por dia e um homem produz 50, o homem, pela regra, precisa ganhar o mesmo que a mulher. Entendemos que não importa o tempo de serviço, mas sim a capacidade de cada um e, por isso, achamos que o art. 461 da CLT deveria ser eliminado.  Quem produz mais deve ganhar mais.

O debate sobre as eleições não pode ficar no nível de um FlaxFlu. Quem ganhou ou quem perdeu na entrevista. O futuro do Brasil e dos brasileirinhos e das brasileirinhas estará em jogo. Estaremos escolhendo entre um Brasil cristão e livre ou uma Venezuela.

Pergunta responsável: Você prefere um Brasil cristão e livre ou uma Venezuela, na qual as pessoas são mortas a tiros nas ruas, como já aconteceu em todos os regimes comunistas, pelas forças do ditador Maduro?



João Carlos Biagini, advogado sênior na Advocacia Biagini, bacharel em Letras e em Direito. Coautor no livro Imunidades das Instituições Religiosas, coordenado pelos profs. Drs. Ives Gandra da Silva Martins e Paulo de Barros Carvalho (Noeses, 2015) e autor do livro “Aborto, cristãos e o ativismo do STF” (AllPrint, 2017).

Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias