Ao casar, posso morar na casa de meus pais?

Olá queridos leitores desta coluna semanal! Antes de começar mais um artigo que promete nova polêmica, queremos homenagear nessa semana,...


Olá queridos leitores desta coluna semanal! Antes de começar mais um artigo que promete nova polêmica, queremos homenagear nessa semana, os fundadores do Ministério de Namorados, o casal Francisco Costa e Daline Santana. Deus trouxe aos seus corações a visão de acompanhar casais de namorados visando construir casamentos saudáveis, através de relacionamentos santos. Os frutos revelam o quanto este Ministério tem impactado em nossa geração. Fomos surpreendidos com a grata notícia de que eles estão “grávidos” e uma criança ungida está por vir para a glória de Deus.

Sobre o tema desta semana, queremos confrontá-los a não aderir aos atalhos que fogem do direcionamento bíblico em Gênesis 2:24. “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne”. Esse é uma mandamento bem claro sobre a necessidade do casal abrir mão da dependência emocional, econômica e geográfica em relação aos pais.

Geralmente os argumentos adotados para não sair da barra da saia da mãe e do pai são questões de ordem econômica. De fato os tempos são difíceis, mas é fundamental avaliar estas questões antes de casar.


  Realize o Seu Sonho de Tocar Piano sem Sair de Casa. Comece Agora!


Não gostamos do decreto “quem casa quer casa”, pois sabemos o quanto é difícil conquistarmos uma casa própria antes do casamento. E olhe que hoje está bem mais fácil do que antes, podendo até financiar a casa em 30 anos. Se o casal conseguiu se organizar ao ponto de conseguir a sua casa própria antes de casar, ótimo! Parabéns! Mas esta não é a realidade financeira da maioria dos casais. Então o que fazer? Então não devo casar?

Cremos que esta é uma decisão delicada e que precisa ser tomada de forma consciente sem abrir mão da fé. Se formos colocar à risca no papel, ninguém de fato tem condições confortáveis de casar. Mas e aí devo esperar ter condições satisfatórias para casar? Claro que não.

Voltamos a dizer: para casar-se é fundamental: consciência (quanto ganhamos, quanto gastaremos), fé (Deus irá prover) e autonomia financeira (frente aos pais ou outras pessoas). Casar nos tempos de hoje requer ousadia, intrepidez e mútuo consentimento dos riscos e desafios que serão assumidos em uma nova fase da vida.

Testemunhamos que não existe algo tão prazeroso como ver o que construímos ao longo de nosso casamento. Da humilde e feliz residência apertada do aluguel até a conquista de nosso lar próprio. Poderíamos ter morado com nossos pais, mas decidimos encarar o desafio em nossa casa, mesmo que em um aluguel que custaria metade de nossa remuneração.

Não nos acostumamos no aluguel. Fixamos uma meta: se esforçar para juntar dinheiro para dar entrada em nosso apartamento, pois pagar aluguel é jogar dinheiro fora. Deus nos honrou abrindo portas e trazendo um lar com muito mais do que tínhamos sonhado.

Então cuidado com a proposta de fazer um puxadinho na laje da casa de sua mãe, ou morar na parte dos fundos, ou no quarto que ninguém dorme. As intenções de nossos pais são as melhores possíveis, mas este tipo de ajuda é prejudicial para início de um relacionamento conjugal.

Nestas condições não há a plena e necessária liberdade, privacidade e intimidade do casal. Não há mãe que não acabe por se intrometer em uma discussão ou situação envolvendo seu filho, por mais errado que ele esteja.

Quando moramos sob o mesmo teto de nossos pais, a autoridade do marido é quebrada, afinal ele não é a autoridade máxima daquele lar.  Observem em Genesis 12:1 que Abraão só recebeu a promessa de fazê-lo uma grande nação, de abençoar e engrandecer o seu nome, após o seguinte mandamento de Deus: “Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei”. Gênesis 12:1

Repare que Deus não falou onde era a terra, assim eles deveriam ter fé e dependência do Senhor para serem guiados pelo caminho até o destino final. Você acha que é fácil sair de onde temos pessoas conhecidas, substituir o conforto do nosso lar pela moradia em tendas no deserto? Será que é fácil sair a caminho de um lugar que não sabemos onde é, como vamos chegar, o que encontraremos no caminho? Abraão pode ter pensado em tudo isso, afinal onde ele estava já havia tudo que ele e sua família precisavam, mas ainda assim ele obedeceu à voz do Senhor e fez o que foi pedido.

Isso tudo ele fez movido pela fé e não por vista, e Deus o abençoou grandiosamente pela sua obediência e confiança depositada na voz do Senhor sobre a vida dele e de sua família. Isso demonstra o seguinte, se realmente queremos viver com o Senhor, devemos confiar nEle e obedecer à sua voz. Até a promessa se cumprir na vida de Abraão houve um preço a ser pago, de oração, de dependência do Senhor, de fé, de esforço, de obediência, mas no final, ele teve muito mais do que poderia esperar: de pai de um único filho, passou a ser verdadeiramente pai de muitas nações.

Sei que pode ser tentadora a proposta de seus pais, mas direcione seus olhos para o Alto, pois de lá virá a provisão para sua nova família. Deus foi fiel com Abraão, conosco e com tantos outros que assumiram o desafio, não tem porque deixar de Ser com você também. Confie! Coragem queridos!



Gustavo e Myllene

Gustavo e Myllene

Gustavo Mercês e Myllene Ramalho, são casados e líderes do Ministério de Namorados da Igreja Batista Missionária da Independência em Salvador-BA. Gustavo é Relações Públicas e Historiador. Já Myllene Ramalho é Assistente Social. Ambos estão no Ministério de Namorados desde 2012.


Deixe seu comentário!