O céu existe! Você ainda crê nessa verdade?

O céu existe e está preparado (reservado) para todos os salvos em Jesus ou na promessa do Cristo Redentor (Hb...


O céu existe e está preparado (reservado) para todos os salvos em Jesus ou na promessa do Cristo Redentor (Hb 11.13-16), o problema é que em nossos dias trabalhosos, nosso tempo escasso é consumido por compromissos e afazeres e o céu que a bíblia diz que está preparado para os santos do Senhor, parece mesmo estar esquecido e fechado dentro das páginas da Bíblia. A falta de prioridade pelas coisas do reino de Deus (Mt 6.33) afetam nossa visão espiritual e a ligação com o celestial de Cristo.

Nas Sagradas Escrituras, o céu é conhecido pelas seguintes designações: Reino (Mt 25.34; Tg 2.5; 2 Pe 1.11), Paraíso (Lc 23.43; Ap 2.7), Herança (1 Pe 1.4) e Cidade (Hb 11.10). No N.T. a doutrina da morada eterna dos santos é tão importante que aparece, de Mateus a Apocalipse, cerca de 280 vezes. Portanto, céu é uma das palavras mais significativas da escatologia bíblica.

Nesses dias de busca frenética por riquezas e pelo real de cada dia; o céu prometido por Jesus aos seus seguidores parece mesmo ser irreal. A leitura de Apocalipse 21 descrevendo a grandiosa visão da nova Jerusalém desfigura-se numa mente ocupada com as coisas terrenas – que pena! Mesmo assim o céu não deixou de existir! Melhor ainda: Cristo o preparou pra nós!


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


Uma forma de vislumbrarmos o céu onde Deus habita é entrevê-lo como uma cidade gloriosa e perfeita. O N.T. trouxe também revelações mais claras e detalhadas sobre a morada eterna de todos aqueles que servirão ao Senhor Jesus Cristo até o fim. As Escrituras mostram o céu como um lugar real representado como uma grande cidade que tem portões, muro, avenida principal, fonte de água, mantimento (árvore da vida), iluminação, moradia e habitantes. Por se tratar do lugar onde Deus está, tudo neste ambiente é harmonioso e perfeito.

Uma cidade cujo construtor é Deus – Hb 11.10.
Uma cidade que é mãe dos filhos da promessa – Gl 4.26.
Uma cidade que está nos céus de onde Jesus virá – Fp 3.20.
Uma cidade permanente para os salvos que passaram por este mundo – Hb 13.14.

Os ensinos de Jesus sobre o céu.

O céu não é uma utopia, é um lugar – existe! Jesus descreveu em João 14.1-3, o céu como um LUGAR (lugar no grego é “topos” que significa uma cidade habitada, um lugar habitado).

O céu não é um estado de espírito, é a habitação preparada para os salvos. Jesus também disse que haveria de nos PREPARAR lugar (preparar no grego é “hetoimazo” que é tornar pronto, deixar tudo pronto; de forma metafórica esta passagem também significa que o Senhor Jesus foi adiante de nós ao calvário afim de nos salvar, preparando o nosso acesso ao céu).

O céu não é uma invenção religiosa, é a casa eterna dos santos. Jesus garantiu que voltaria para nos levar ao céu. Isso se dará em nossa experiência através da vinda do Senhor Jesus para sua Igreja; quando os mortos em Cristo serão ressuscitados e os vivos transformados pelo poder de Jesus e ambos encontrarão glorificados, o Salvador nos ares – 1 Ts 4.13-18.

No livro das revelações o céu foi descrito como um lugar de perfeição absoluta. Vejamos:

Comunhão perfeita: Deus habitará com os homens – Ap 21.3
Consolo perfeito: Nossas lágrimas serão enxugadas – Ap 21.4a
Alívio perfeito: não haverá mais morte, tristeza, choro e dor – Ap 21.4b.
Recomeço perfeito: as primeiras coisas já terão passado – Ap 21.4c.
Renovação perfeita: Cristo fará novas todas às coisas – Ap 21.5.
Glória perfeita: Por conta da glória de Deus – Ap 21.11, 18-21.
Riqueza perfeita: Como uma jóia, pedras preciosas, ouro puro – Ap 21.11b.
Segurança perfeita: Um grande muro – Ap 21.12a.
Resultados perfeitos: Dos quatro cantos da terra virão salvos – Ap 21.13.
Dimensões perfeitas: Comprimento, largura e altura são iguais – Ap 21.16.
Adoração perfeita: Não há templo; comunhão direta – Ap 21.22.
Iluminação perfeita: A luz é Deus e a candeia o Cordeiro – Ap 21.23.
Pureza perfeita: Não há impureza ou contaminação – Ap 21.27.

Por conseguinte, o céu é tanto um lugar (Jo 14.2,3), quanto um estado onde predominam a santidade (Hb 12.14; Ap 21.27), a felicidade (Sl 16.11, a glória (2 Tm 2.11), o repouso e a segurança (Hb 4.10,11). Jesus é o único caminho para o céu (Jo 14.6). Para entrar lá é preciso aceitar o sacrifício purificador de Cristo, receber seu perdão e justiça – Ap 22.14.



Silvio Costa

Silvio Costa

Silvio é administrador de empresas por profissão, mora na belíssima cidade de Guarapari no ES; estudou teologia no Seminário SEET e na Faculdade FAIFA. Textos de sua autoria frequentemente são publicados em portais cristãos do país por focarem questões do cotidiano da igreja evangélica brasileira. Acompanhe também seu blog pessoal Cristão Capixaba e portalLitoral Gospel


Deixe seu comentário!