Quer criticar o Gideões Missionários? Leia este texto antes

Acredito que toda crítica baseada na Bíblia é bem-vinda a quem quer que seja, mas é importante que se conheça...


Acredito que toda crítica baseada na Bíblia é bem-vinda a quem quer que seja, mas é importante que se conheça o que se está criticando. Tendo conhecimento de causa sobre o ministério do Gideões Missionários da Última Hora, gostaria de passar algumas informações para que você faça sua crítica de forma moderada, bíblica e que venha trazer edificação para quem a lê.

Não estou aqui para ser advogado do ministério, mas creio que muitos criticam sem compreender todas as questões envolvidas.



O Congresso dos Gideões é um evento realizado pelo ministério do GMUH e que tem o objetivo levantar ofertas para sustento dos missionários enviados pelo ministério. É importante separar o Ministério Gideões do Congresso do Gideões.

O Ministério Gideões tem cerca de 1300 famílias enviadas para missões em mais de 42 países, para manter todas estas pessoas, é necessário uma verba considerável. Verba esta que vem em grande parte dos carnês que milhares de evangélicos espalhados pelo Brasil contribuem todos os meses e também das ofertas levantadas no Congresso do Gideões.

Tendo em vista esta separação, vamos falar sobre o Congresso do Gideões que acontece todos os anos e reúne cerca de 150 mil fiéis. São 10 dias de cultos diários que iniciam-se às 7h00 e vão até as 22h30min, sem intervalos. Para tanto, são utilizados no mínimo 3 preletores por dia e nos últimos 5 dias de evento, os cultos são realizados em dois espaços simultaneamente, o que totaliza 6 preletores.



Os preletores

Este ano, estão convidados na lista oficial do evento 102 pregadores. Eles vem de todas as partes do Brasil e do mundo. O evento não tem como, e nem tem dever, de fiscalizar a vida diária e a teologia dos pregadores. Muitas críticas são lançadas sobre os preletores e respingam no evento, como se ele pudesse monitorar todas as informações dos pastores que ministram. Não estou dizendo que você não pode ou deve criticar biblicamente os preletores, mas leve em conta tudo que isso envolve. Não concordo com 60% do que dizem os pregadores.

As manifestações pentecostais

O evento reúne também evangélicos, em sua maioria pentecostais, de todas as partes do Brasil, e também não tem o dever de doutrinar essas pessoas. O Congresso dos Gideões não é um evento de ensino de teologia, é um congresso com ministrações evangelísticas pentecostais, e por isso há várias manifestações estranhas a muitos evangélicos de outras denominações. Estranhas até a mim que sou pentecostal. Mas volto a frisar, não há como culpar apenas o evento pela falta de informação bíblica de seus participantes.

O comércio no evento

Também é importante saber que o Congresso dos Gideões não monitora nem ganha nada das lojas que se instalam na pequena Camboriú para ganhar dinheiro às custas dos participantes do evento. Por isso, não há porque dizer que o Gideões é apenas comércio, já que o comércio se realiza fora do evento, nas ruas da cidade, e não há possibilidades do evento o proibir.

As ofertas pedidas no evento

Sim, concordo, eles pedem muito dinheiro. Mas como disse lá em cima, o evento é realizado para arrecadar dinheiro para sustentar os projetos missionários.

Concluo dizendo que não concordo com diversas coisas do congresso e ministério, mas creio que por mais erros que eles possam ter, Deus ainda olha para 1300 famílias missionárias que estão dando sua vida pela causa do Reino. Não estou dizendo que isso é justificativa, mas penso que Deus é gracioso.



Neto Gregório

Neto Gregório

Vivo pela misericórdia, salvo pela graça. Editor do Gospel Prime.


Deixe seu comentário!