Deus não desiste de você! Será?!

“Não precisamos ir longe na análise da Bíblia para entendermos que a ideia de que Deus não pode desistir de nós é uma verdadeira falácia”.


Deus não desiste de você! Será?!

De tempo em tempo, somos “presenteados” por hits musicais evangélicos. E algumas dessas canções, em vez de glorificarem exclusivamente o santo nome de Jesus Cristo, acabam introduzindo na cabeça de muitos crentes heresias e ideias antibíblicas. Pensando nisso, será que “Ele [Deus] não desiste de você?”.

Não temos a pretensão de comentar a música “Ele não desiste de você”, mas apenas, a partir deste título, discorrer sobre sua veracidade ou não.

Não precisamos ir longe na análise da Bíblia para entendermos que a ideia de que Deus não pode desistir de nós é uma verdadeira falácia. Facilmente podemos entender que o Senhor pode, sim, abandonar quem lhe despreza.

Quando passamos a acreditar que Deus não desiste de nós, nossa consciência pode, paulatinamente, ser induzida a acreditar que não corremos o risco de perder a salvação. Sendo assim, abre-se, diante de nós, um leque abrangente de possibilidades de transgressão dos mandamentos divinos.

Com vistas a fortalecer meus argumentos, transcreverei algumas passagens bíblicas que destroem quaisquer pensamentos que sejam contrários à realidade do abandono de Deus:

Portanto, diz o SENHOR, Deus de Israel: Na verdade, dissera eu que a tua casa e a casa de teu pai andariam diante de mim perpetuamente; porém, agora, diz o SENHOR: Longe de mim tal coisa, porque aos que me honram, honrarei, porém os que me desprezam serão desmerecidos. Eis que vêm dias em que cortarei o teu braço e o braço da casa de teu pai (1 Sm 2.30, 31, grifo nosso).

Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei (1 Sm 15.23, grifo nosso).

A primeira passagem bíblica mostra-nos Deus rejeitando o sacerdote Eli, por causa de sua falta de zelo pelas coisas sagradas e pela ausência de repreensão para com os seus filhos desviados (1 Sm 2.12-17, 27-36). A segunda diz respeito ao rei Saul, que foi duramente repreendido pelo profeta e sacerdote Samuel. Os dois textos transcritos evidenciam o desprezo de Deus.

No Novo Testamento (NT), o apóstolo Paulo diz aos coríntios: “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia” (1 Co 10.12). Por que Paulo advertiu os irmãos desta maneira se Deus não podia rejeitá-los? No versículo dez deste mesmo capítulo, está escrito: “Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador”. Esta destruição é descrita em Números 16.41-49.

Portanto, meus queridos leitores, Deus pode, sim, desistir de nós, caso escolhamos o caminho da prática contumaz do pecado.



João Paulo Souza

João Paulo Souza

32 anos, casado com Marcela Souza, assembleiano, pedagogo e pós-graduado em Coordenação Pedagógica.


Deixe seu comentário!