Efatá!

Um Notável Milagre - Marcos 7.31-37.


Efatá!

No texto em exposição, encontramos nosso Senhor fazendo umas das coisas que ele mais ama fazer: levar à intervenção divina para aqueles que estão precisando urgentemente do socorro de Deus. Estando Jesus na região de Decápolis, trouxeram-lhe um surdo, que falava com dificuldade, isto é, o fazia de maneira incompreensível.

As pessoas que o levaram suplicaram a Cristo que impusesse às mãos sobre ele. Provavelmente elas queriam ditar o método que Jesus deveria utilizar para realizar o prodígio. Esse é um erro que muitos de nós em algum momento já cometemos. Larry Richards pontifica que não devemos dizer como Ele deve suprir a necessidade. Mas devemos definir nossas necessidades e depois levá-las a Ele.[1] Portanto, não queira ditar os métodos que Deus deve utilizar.

Jesus tirou-o do meio da multidão, levando-o à parte, tocou-lhe os dedos nos ouvidos e, cuspindo, tocou-lhe na língua. Ergueu os olhos ao céu, suspirou e disse: Efatá, isto é, abre-te. Imediatamente cessou-se a surdez, e a mudez se desfez, passando a falar perfeitamente.

Qual foi o propósito de Jesus ao retira-lo do meio da multidão? Primeiro, com certeza o Senhor não queria ser conhecido como um mero operador de milagres, mas almeja que os seus preceitos se acostassem no coração dos homens.  Adolf Pohl observa que Jesus tira esse homem energicamente do “palco”, ao contrário de curandeiros modernos que puxam os doentes para o palco a fim de exibirem-se com supostos milagres.[2]

Segundo, Jesus cria uma ponte de contato com esse homem para despertar-lhe a fé. Jesus podia apenas dar uma ordem e aquele homem ficaria curado. Ele poderia também ter feito esse sinal no meio da multidão. Mas Jesus o chama à parte e toca-lhe com as mãos e com saliva. Esses gestos eram pontes de contato.[3]

O Senhor Jesus não quer ser reconhecido como um mero operador de milagres. Deseja ter um relacionamento conosco, e que por meio deste venhamos nos render ao seu senhorio, continuando a segui-lo, mesmo após o milagre. Em contraste ao que fazem muitos, que quando conseguem o milagre logo se esquecem do Senhor. Portanto, não queira apenas os milagres de Jesus, queira Jesus em sua vida, como seu salvador.

Após Jesus pronunciar a palavra efatá, isto é, abre-te, imediatamente cessou-se a surdez, e a mudez se desfez, passando a falar perfeitamente. A cura foi imediata e completa, ao contrário do que acontece nas igrejas mediáticas, onde seus pregadores pragmáticos vivem de fazer propaganda enganosa de seus supostos milagres com a mera finalidade de encher seus bolsos de dinheiro.

Hernandes Dias Lopes observa:

Hoje, muitos líderes religiosos sem escrúpulos e sem temor a Deus fazem propagandas de milagres que jamais existiram e garantem às pessoas que elas estão curadas, quando não há nenhuma prova de que o milagre ocorreu. Diferentes de Jesus, buscam publicidade e gostam dos holofotes, pois estão mais interessados na exaltação de seus próprios nomes do que na glória de Deus.[4]

Vale ressaltar que a palavra efatá, não é nenhum encantamento mágico. É apenas uma palavra na língua aramaica, a linguagem normal para Jesus. Marcos traduziu a palavra, mostrando que Jesus usou uma simples ordenança e não uma fórmula mágica para realizar a cura.[5]

Fato digno de nota é que não foi o toque de Jesus que o curou. A cura aconteceu logo que Jesus pronunciou: “abre-te!” Ele, que criou o universo pela palavra (Gn 1.3, etc), não precisava nada mais do que uma palavra para realizar o milagre.[6] Quão grande é o seu poder!

Fritz Rienecker e Cleon Rogers anotam que a palavra efatá traz a ideia de ser aberto e libertado. A ideia não é da parte específica da pessoa sendo aberta, mas da pessoa inteira ser aberta ou libertada.[7]

Portanto, Efatá! Que seja concretizado o milagre de Deus em sua vida, como também seja liberto das amarras do pecado sendo salvo em Cristo Jesus. Que assim como aquele homem teve um encontro com Jesus sendo completamente liberto, que o mesmo aconteça em sua vida.

Notas Bibliográficas

[1] RICHARDS, Larry, Todos os Milagres da Bíblia. Editora Hagnos. São Paulo, SP 2003: p. 272.
[2] LOPES, Hernandes dias, Marcos. Editora Hagnos. São Paulo, SP 2007: Apud: POHL, Adolf, Evangelho de Marcos, 1998: p. 238.
[3] LOPES, Hernandes dias, Marcos. Editora Hagnos. São Paulo, SP 2007: p. 358.
[4] LOPES, Hernandes dias, Marcos. Editora Hagnos. São Paulo, SP 2007: p. 359.
[5] MULHOLLAND, Dewey, Marcos Introdução e Comentário. Editora Vida Nova. São Paulo, SP 1999: p. 125.
[6] RICHARDS, Larry, Todos os Milagres da Bíblia. Editora Hagnos. São Paulo, SP 2003: p. 251.
[7] LOPES, Hernandes dias, Marcos. Editora Hagnos. São Paulo, SP 2007: Apud: RIENECKER, Fritz e Rogers, Cleon, Chave Linguística do Novo Testamento Grego, 1985: p.81



Moisés Soares

Moisés Soares

Pregador do Evangelho, escritor, acadêmico de Direito e estagiário do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas.


Deixe seu comentário!