Pecadinho e Pecadão. Sim, eles existem

Toda injustiça é pecado....


Existe pecadinho e pecadão?

Sim! Ao contrário do que diz o senso comum entre cristãos, há diferenciação entre pecados, que os tornam mais ou menos graves, segundo a teologia Joanina (apóstolo João).

Vamos ao texto bíblico.

“Se alguém vir seu irmão cometer 1) PECADO QUE NÃO LEVA À MORTE, ore, e Deus dará vida ao que pecou. Refiro-me àqueles cujo pecado não leva à morte. 2) EXISTE PECADO QUE CONDUZ À MORTE, não estou ensinando que se deva orar por esse. Toda injustiça é pecado, contudo há pecado que não induz à morte. Ora, sabemos que todo aquele que é nascido de Deus 3) NÃO É ESCRAVO DO PECADO; antes, Aquele que nasceu de Deus o protege, e não permite que o Maligno o possa tocar.” 1 João 5.16-18

A partir deste texto, quero analisar junto com você, caro leitor, as três ênfases que destaquei para melhor compreensão.

Ênfase 1 – O pecadinho

Aqui João afirma que há pecados que não levam à morte. Ao pecador deste pecadinho, admite-se que ore para que seu pecado seja perdoado. Quero destacar que João não apontou quais seriam estes pecados, porque, em verdade, na tônica do texto, João não está dizendo que é um tipo de pecado que está sendo cometido que definirá sua gravidade, mas COMO isto está sendo cometido. Vai ficar claro, acalme-se.

Ênfase 2 – O pecadão

Aqui João afirma que há pecados que conduzem à morte, mas ainda não citou quais pecados, e ainda afirma que não se admite oração a tal pecador.

Parece confuso, mas na terceira ênfase tudo fica esclarecedor.

Ênfase 3 – A escravidão

Aqui todas as dúvidas caem por terra.

João está afirmando que qualquer pecado pode ser mortal, se vier a ser motivo de escravidão.

Uma mentira, por exemplo (pode ser qualquer pecado), pode ser um pecadinho ou um pecadão. O que vai definir sua gravidade é se foi cometida em um deslize e houve arrependimento (pecado que não é para morte)…

Caros filhinhos, estas palavras vos escrevo para que não pequeis. Se, entretanto, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; 2e Ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente por nossas ofensas pessoais, mas pelos pecados de todo o mundo” 1 Jo 2.1-2

…ou se o tal pecador, o mentiroso, já é escravo da mentira (pecado que conduz à morte), ou seja, a mentira já não é mais um deslize, tornou-se uma prática comum em sua vida.

O próprio João escreve que “Todo aquele que é nascido de Deus NÃO SE DEDICA À PRÁTICA DO PECADO, porquanto a semente de Deus permanece nele e ele não pode continuar no pecado, pois é nascido de Deus. Deste modo, conhecemos quem são os filhos de Deus e quem são os filhos do Diabo: quem não pratica a justiça não procede de Deus, nem tampouco aquele que não ama seu próprio irmão. 1 Jo 3.9-10

Consegue compreender o sentido de tudo isto?

Aos Hebreus, o escritor chegou a escrever algo que confunde (e assusta) muita gente. Perceba…

Ora, é impossível para aqueles que uma vez foram iluminados, experimentaram o dom celestial e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram os benefícios da Palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, mas apostataram da fé, sim, é impossível que tais pessoas sejam reconduzidas ao arrependimento; tendo em vista que contra si mesmos estão crucificando outra vez o Filho de Deus, e zombando publicamente dele. Porquanto a terra que absorve a chuva que cai de tempo em tempo, e dá colheita proveitosa àqueles que a cultivam, recebe a bênção de Deus. Todavia, a terra que produz espinhos e ervas daninhas é inútil, e logo será amaldiçoada. Seu fim é ser lançada ao fogo”. Hebreus 6.4-8

Concluímos, portanto, que existe SIM pecadinho e pecadão, mas não é a classificação ou sua nomenclatura que a define, mas a forma como é praticada.

Sejamos, portanto, terra boa, frutífera ao Senhor, no sentido mais essencial desta palavra, que é obedecendo aos mandamentos de Jesus de maneira CONSTANTE, sendo escravos SIM, mas de Jesus, e caso venhamos a pecar (deslize), que haja genuíno arrependimento.

Deus nos ajude.



Douglass Suckow

Douglass Suckow

Douglass Suckow 41 anos, é pastor na Igreja Metodista Wesleyana em Porto Velho-RO desde 2010. Casado com Luciana Neves, tem 03 filhos, Jade (18), Lucas (15) e Henrique (07). É escritor de revistas de Escola Bíblica para pré adolescentes pelo Centro de Publicações da Igreja Metodista Wesleyana (RJ). Estuda Teologia pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER) e é idealizador de um canal no Youtube: Pastor Douglass


Deixe seu comentário!