Louvado seja o Dinheiro!

Dinheiro na igreja é coisa muito séria. Sim! Talvez seja o assunto mais sério para os cristãos depois da salvação....


Louvado seja o Dinheiro!

Dinheiro na igreja é coisa muito séria.
Sim! Talvez seja o assunto mais sério para os cristãos depois da salvação.
Prova disto é que Jesus falou mais de dinheiro do que de salvação.
O dinheiro dita tudo na Igreja.

Se a igreja não cresce não tem problema, o importante é que haja dinheiro sobrando.
Se há muito tempo o amor já não existe mais na igreja, não tem problema, louvado seja Mamon, tem dinheiro sobrando.

Se o trabalho social e evangelismo não são mais mencionados no púlpito, sem problemas, o importante é que tem dinheiro sobrando para investir nas coisas deste mundo, afinal “Deus prometeu que nos daria da gordura da terra”.


Professor Cria Curso Online p/ Bacharel Livre em Teologia com VÍDEO AULAS


Se os membros da igreja não são visitados pelo seu pastor, tudo bem, o que vale é saber que com o dinheiro que está sobrando a igreja está proporcionando uma vida regalada a eles e à sua descendência, tudo em nome de Deus.

Se a igreja não ora mais, mas tem dinheiro saindo pelo “ladrão”, está tudo bem.
Se a primazia da igreja não é mais a leitura e conhecimento da Palavra, tudo bem, com o dinheiro se resolve e se compra tudo e todos.

Se a igreja tem muito dinheiro e nunca foi roubada por ninguém, melhor ainda.
Pode-se doutrinar errado, e todos aceitam e toleram desde que o dinheiro esteja bem guardado em lugar seguro e protegido.

Coloca-se qualquer um para liderar jovens, crianças e adolescentes, sem se fazer uma avaliação prévia para se saber se estes têm tendências homossexuais ou para pedofilia, afinal, crianças, adolescentes e jovens (Nossos filhos) são somente pessoas; por outro lado, para cuidar do “Santo Dinheiro” da igreja se faz um minucioso processo de devassa do pretenso tesoureiro; com razão, pois administrará o deus da igreja.

Pastores amantes do dinheiro, escravos de Mamon, apascentadores de si mesmos, quando convidados a dirigirem uma igreja não se preocupam em saber pelas almas que a compõe, pelas necessidades espirituais de que carecem, mas sim o quanto está rendendo “$$$$ em dízimos e ofertas”. A bem da verdade, para estes mercenários, o que atrapalha na igreja são os fiéis, os questionadores, os que não se conformam com este “outro evangelho” que não conseguem digerir.

Jesus também não digeria a religião que encontrou no judaísmo, onde Jeová havia perdido o lugar para as tradições, ritos e o sistema de enriquecimento sacerdotal.
Jesus, tratou o dinheiro como sendo uma potestade chamada de Mamon, o deus que proporcionava a prosperidade e riqueza na cultura Fenícia.
Potestade requer adoração e envolvimento.

Mamon exige santificação e Dedicação, Você já notou as exigências quanto a Integridade e Transparência com aqueles que lidam com o Dinheiro na Igreja?
Mamon exige o melhor, de “Grife”
Mamon determina o valor das coisas, pois quem tem dinheiro na igreja é valorizado, abraçado, “acobertado”, considerado e até mais facilmente perdoado; por outro lado, quem não tem!….
Mamon exige temor, fazendo terrorismo psicológico com quem não é dizimista, ofertante ou não faz o “SACRIFICIO”.
Mamon governa as circunstâncias.
Mamon exige adoração.

Um crente “jamais” (?) se dobraria diante de uma imagem. Então, o maligno se esconde atrás do dinheiro, se personifica em Mamon e recebe adoração: – “Louvado seja o dinheiro!”.

Pobres miseráveis!

Prefiro ficar com Cristo Jesus e com sua recomendação:

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” Mt 6.24

A Cristo Jesus a glória para todo sempre.




Deixe seu comentário!