Não quero me limpar!

"Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso."


Em minha comunidade local um projeto com pessoas em situação de rua chamado Alimentando Vidas é realizado há pouco mais de um ano todas as segundas feiras, as 20hs onde um grupo de pessoas vai até uma praça perto de nossa comunidade levar alimento, roupa, abraços, louvor, palavra e tentar de alguma forma encaminhar as pessoas que estão ali pelas mais diversas razões para algum albergue, centro de reabilitação ou então tentar se restabelecer em suas famílias e empregos.

Dentre os frequentadores da praça existe um senhor de uns 50 anos chamado Sr. Roberto que infelizmente devido ao vício alcoólico abandonou sua família, emprego e a vida que havia construído.

Sr Roberto é inteligente, articulado, porém já trocou coisas preciosas para sustentar seu vício. Assistentes sociais já tentaram o reabilitar na sociedade diversas vezes, porém o pouco que conseguiram foi dar-lhe um banho algumas vezes e cortar suas unhas, cabelo e barba. Sr. Roberto alega que o Brasil é um país livre que lhe garante o direito de ir e vir e que quem mora na rua é que é livre de verdade, pois tem sua vida própria e não faz parte do sistema.

Numa tarde ensolarada então resolvi passar na praça para ver como estava sr. Roberto e as outras pessoas e algo que realmente me incomodava era as longas unhas sujas dele, sua barba com resquícios de comida e mal odor. Isso sem falar que ele recusava as roupas novas que levávamos para ele e sempre estava com a mesma calça social.

– Sr. Roberto – eu falava – o que o sr. acha de darmos uma limpada na mão do senhor? Pelo menos para comer e o senhor não ficar doente.

Comprei então um pacotão de lenços umedecidos e ali na minha ingenuidade achando que aquilo resolveria algo, quebrei a minha cara.

– Sr. Roberto, olha só, comprei lenço umedecido para limparmos a unha do senhor e ai o senhor pode usar quando quiser que mata as bactérias e tem um cheirinho super ótimo.

Ele pegou o lenço e jogou no chão e eu fiquei sem reação. Por que ele não queria se limpar? estava tudo ali a disposição dele e ele ainda se negava como se aquela sujeira fizesse parte dele… e fazia, e como fazia. Aquela crosta corporal só refletia seu vício, depressão, falta de amor próprio e sinal claro que ele havia desistido da vida e dele mesmo. De forma alguma considero fraqueza a atitude dele, na verdade não consigo parar de pensar que prisão emocional e espiritual é essa a ponto de sua vida se tornar uma constante busca por anestesiamento e negação de qualquer tipo de ajuda ou cura.

Pior do que nadar, nadar e não chegar em lugar algum é perder a vontade de nadar e deixar a maré te levar para qualquer lugar ou não chegar a lugar algum e morrer no meio do oceano.

O que acontece com o Sr. Roberto acontece com todos nós pelo menos em alguma fase de nossas vidas. Que área de nossa vida está na sombra e não deixamos ninguém nos ajudar, auxiliar e muito menos Deus curar ? Talvez por medo, sofrimento, orgulho, altivez, auto suficiência… a questão é: onde Deus tá querendo te dar um trato e você está mais escorregadio que sabonete? Você até pede para Deus curar, mas aí quando o caldo engrossa você corre para qualquer válvula de escape que te anestesie temporariamente e a longo prazo só te prende ainda mais?

Jesus está doidinho para te dar uma lavagem completa sem julgamentos ou força, somente por amor. Vai haver umas esfregadas para arrancar bem a sujeira e um estranhamento quando tudo estiver bem limpinho, mas sem dúvidas o resultado será incrível ! Pergunte para o espírito santo onde você tem fugido da cura de Deus. Caso você já saiba qual é seu ponto crítico, corra agora mesmo para um ducha divina maravilhosa e assim como um bebê tire um soninho confiante bem gostoso no colo do Pai aliviado por estar limpinho!

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. Mateus 11:28-30



Carla Stracke

Carla Stracke

Missionária, Intercessora, escritora, tradutora, professora e comerciante. Tudo para a glória de Deus e com intenso desejo de ajudar a transformar mentes e corações.


Deixe seu comentário!