O Senhor dos tempos

"Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (Atos 1:8)


O Senhor dos tempos

Deus é Eterno. Sem começo, nem fim! Quanto ao Reino de Deus, é também perpétuo e inabalável, porém dinâmico. Jesus foi dinâmico enquanto esteve na terra! Para ficar mais fácil, Ele não se importava com a burocracia religiosa, nem valorizava os métodos únicos de serviço! Uma vez o Mestre improvisou com lama e lodo para dar vista ao cego. Ele curou no sábado, não teve burocracia! Ele é o Senhor do Sábado. Ele também é Senhor do tempo, aliás Senhor de todos os tempos!

O tempo não pára quando você conhece o mestre Jesus! Na verdade está só começando o seu novo tempo, a sua nova vida! Ter um verdadeiro encontro com Deus é um acontecimento histórico do mais profundo! A chama do avivamento possui a sua alma de forma tal qual o Espírito Santo possuiu os apóstolos. Eles também foram dinâmicos. Não pararam no tempo.

Fale a verdade, você ainda tá nessa de “tempo de Deus” e “não estou preparado para amar e servir a Deus” ou “não chegou o meu tempo” (???). Ora, sair para semear o reino de Deus aos povos, nações, tribos e raças (ou vizinhos, colegas de faculdade, amigos de trabalho) é a premissa do evangelho. O resto é secundário, terciário ou corrida atrás do vento! Não se trata de uma obediência cega, mas se trata de uma submissão visível.

Muitos crentes tem problema com o evangelho. Isso mesmo. Talvez por “vergonha do Evangelho” ou “carência emocional” ou “medo” ou “desobediência”. E, aí, a grande desculpa do cristão é de que não tem tempo para amar a Deus sobre todas as coisas, nem tempo para amar ao próximo como a si mesmo! Talvez isso aconteça porque o cristão vive distraído dentro da igreja.

MAS, DEUS É SENHOR DO TEMPO! Ele determinou que o tempo da igreja É AGORA!! E aí, os discípulos e os apóstolos entenderam tudo, mesmo cheios de problemas sociais ou emocionais, eles entenderam “o tempo de Deus para a igreja” e não voltaram para as suas casas para viver como viviam antes, quando Jesus partiu no Monte das Oliveiras, prometendo a eles um guia espiritual de verdade, uma autoridade não da terra como um papa católico ou papa gospel, mas a Autoridade Espiritual do Espírito Santo. Eles também romperam com o sinédrio, a maior autoridade religiosa da época, não porque eles estavam “feridos” com alguém, mas porque o reino de Deus é mais importante do que o reino dos homens. Tradições humanas e Reino Eterno nunca puderam andar de mãos dadas.

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (Atos 1:8)

Aqui, a igreja desta geração encontra mais um grande problema: o problema de não desejar ser uma testemunha de Jesus como os apóstolos o fizeram. Então, os desvios começam a chegar: uns desejaram ser papas, outros desejaram ser estrelas gospel nos púlpitos e altares dentro dos templos, e também com outdoors com imponentes fotos em frente de “seus templos”, vangloriando-se a si mesmos! Que Evangelho de Cristo é este? Em contrapartida, alimentando esse espírito de orgulho religioso, outros desejaram ser apenas ouvintes da Palavra, apenas “frequentadores de igreja” enganando-se a si mesmos (Tiago 1:22-23).

Alguém por favor aí deseja levantar as mãos indicando que deseja ser discípulo de Jesus, para manifestar a glória Dele na terra, dando testemunho daquilo que ele fez e ainda está fazendo? (um grande silêncio acontece).

Os apóstolos (da bíblia) decidiram ser testemunhas de Cristo. Se algumas vezes vemos o apóstolo Paulo se apresentando por alguma necessidade, as razões eram meramente diplomáticas, formalidades de nosso mundo ao viajar para vários lugares desconhecidos, e não por estrelismo que vemos nesta geração. O propósito do apóstolo era eterno! É lógico que Paulo não pregou que devemos ser miseráveis ou arruinados, nem também dado ao luxo. Ele pregou que devemos seguir a Jesus, aonde estivermos, assim como ele o fez.

Há muitas coisas “terciárias” nas tradições as quais os apóstolos não valorizaram, nem mesmo Jesus as valorizou como os fariseus o faziam. Porém, deixo aqui uma pergunta para esta geração: O que você, como cristão ou filho de Deus, ou discípulo, enfim, o que você está valorizando? Um lugar, um templo, um “sacerdote”, um altar? Um ritual? Seria isso a sua prioridade? … Jesus não valorizou essas coisas. Mas, ele valorizou o que estava profetizado.

Ele leu isso diante dos sacerdotes judeus o profetizado por Isaias 61: “O ESPÍRITO do Senhor Deus está sobre mim; porque o Senhor me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; 2  A apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes; 3  A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do Senhor, para que ele seja glorificado. Uma pena que os religiosos nada entenderam. Era chegado um novo tempo!

Jesus valorizou pessoas, almas, corações, gente, e não valorizou os rituais e as tradições e o valor ao dinheiro, ao luxo e demais bens materiais e demais cobiças do coração do homem, essas coisas que tanto se valorizam hoje na igreja dessa era, insistindo em se repetir os erros da igreja da idade média. E, isto não é uma crítica, é um fato! Senão vejamos: nos cultos de hoje gasta-se mais tempo falando de dízimo do que falando do reino de Deus! São duas pregações, sendo que a pregação do dízimo é a maior parte do culto!

Esta era da igreja, contudo, é o tempo que mais se deve testemunhar de Jesus para que as profecias continuem se cumprindo. A igreja omissa e passiva não é a igreja que Cristo formou. Somos a igreja do arrebatamento. As coisas velhas se passaram. Estamos chegando perto do arrebatamento! Alguns estarão distraídos com o dinheiro, mas os filhos de Deus estarão acordados e não serão pegos de surpresa por nenhum ladrão da meia noite! Para estes, os que estiverem alinhados com o céu, o Noivo descerá para levar como noiva, um porquinho antes das Bodas do Cordeiro.

A passividade da igreja

“Jesus não formou “monges” para ficarem cantando dentro de mosteiros evangélicos!
Ele formou discípulos ativos e operantes”

No entanto, é óbvio que as pessoas se sintam passivas aonde a pregação que impera os seus ouvidos é a da manipulação evangélica desenfreada. Todo mundo com medo de perder! Disputam à força, fiel por fiel, quando deveriam buscar as almas perdidas. Parece um grande concurso de igrejas. Mas o reino de Deus não é um concurso de ideias! As almas necessitadas (não as obesas espirituais), as almas carentes, que estão dentro da visão de Cristo, mas fora do raio de ação e “visão” da igreja gospel, não desejam saber “qual é a sua igreja”, nem qual é o seu “método”, nem qual o seu “título”, nem seu “talento”, etc. Eles só estão necessitando de “Um Verdadeiro Milagre (de Deus) através de um pequeno ato ou gesto de generosidade sua para ter ao menos um tanto de dignidade também. Daí surge uma nova pergunta: o que você está fazendo com o seu tempo dentro de um prédio religioso? A vontade de Deus ou a vontade de um condomínio?

Eu lembro de meu tempo de faculdade, que era pública. Nesse tempo, ainda jovem, o meu apelido lá era “pastorzinho” (talvez pejorativamente não importa), isso porque eu levava a Bíblia, e falava de Jesus para colegas e professores em sala nas aulas de filosofia. Eu levava cópia dos quatro primeiros capítulos de Romanos para os meus colegas em sala de aula. Dava testemunho de quem tinha uma “resposta” para a humanidade, e não um mero pensamento grego epicureu ou estoico ou teoria alemã de Niestchie.

Jesus é a resposta para quem está em dúvidas sobre o existencialismo. Ele é o fim da procura! Na verdade, enquanto muitos dos demais alunos coordenadores de centro acadêmico desejavam ficar para sempre fazendo política de esquerda dentro da faculdade até jubilarem, a minha vontade era nunca sair dali também por causa daquele campo missionário desafiador. Falar de você, de suas façanhas, de suas distrações, de seus pecados para um povo intelectual incrédulo é uma ilusão, ainda que seja um “testemunho”. Mas, falar de Jesus é A VERDADE, difícil de refutar! Porém, quando chegou a hora de minha formatura, havia outro campo para que eu pudesse testemunhar de Cristo, que não era mais a faculdade! Havia terminado “Jerusalém”, partiu Judeía, Samaria e confins da terra!…

O tempo de Deus para a igreja é aonde você estiver e não quando você estiver! Ele é o Senhor do tempo!

A tradição atrofia a visão de Cristo. Aqui, também a igreja sempre encontrou um grande problema em seu ensino religioso. Criou-se a Teologia da Manipulação, ao fazer muitas pessoas de reféns de um sistema de mercado gospel, em vez ensinar as pessoas a seguirem a Cristo, sendo frutíferos discípulos de Cristo!

Os pastores tem tanto medo de perder, e as ovelhas tanto medo de sair, que desejam “ficar em Jerusalém” para sempre, eternamente, amém! Contudo, esta não é a vontade de Deus! Jesus perdeu para ganhar, e os apóstolos não tiveram medo de sair para pescar almas! A igreja deve sair da tradição do isolamento, dos medos e traumas emocionais para obedecer a vontade do Pai. Jerusalém de Atos 1:4 é só por um período. Em Atos 1:8 tem outras cidades, tribos, povos e nações para semear as Boas Novas de Cristo!  JESUS não fez nenhum discípulo de refém!
Ele formou missionários, não importa qual seja a sua denominação.

Cadeias emocionais prendem a você eternamente em “campanhas” de igrejas e te fazem esquecer da Generosidade do Rei e também de sua missão! Entregue tudo a Ele! O Espírito Santo já faz “campanhas” por você todos os dias com gemidos inexprimíveis (Rm 8)! A sua oração é muito forte! Pare de depender eternamente e emocionalmente da oração dos outros dentro de uma igreja. Você não mais um coitadinho cristão! Deixou de ser bebê faz tempo! É tempo de amadurecimento espiritual. Tome a sua posição de Efésios 6:10 – A armadura de Deus é para você!!!
Os discípulos tinham muitos problemas,
mas isso não foi o bastante para impedi-los de cumprir a missão
                                                            conferida pelo Mestre em tempo e fora de tempo! Deus é o Senhor dos tempos!

Vc precisa descansar, deixar de duvidar; cuidar do templo do Espírito Santo e ter qualidade de vida e saúde emocional para atender ao propósito eterno do Rei! É chegado o TEMPO de eliminar carências afetivas e emocionais através da fé em Jesus!! Sem fé é impossível agradar a Deus! (HB. 11:6). Descanse, e não duvide mais do Sumo Sacerdote, Jesus, nem do Espírito Santo!

Conclusão – O assunto não se encerra aqui, mas concluo este pequeno artigo com uma pregação que gosto de fazer aos alunos de missiologia: É chegada a hora de sair do mundo das ideias e do campo das teorias evangélicas! O tempo de Deus para você, igreja, desde Atos, é “aonde” você estiver e não “quando” você estiver! Não se distraia! Diga adeus ao embromation religioso e SIGA A JESUS!

Espero nesse tempo haver abençoado a sua vida com a inspiração que vem do livro de Atos, o qual sugiro a leitura, e também aproveito para sugerir um masterclass do livro “A Definição do Cristianismo”, de David Gooding e John Lennox, Editora “A Verdade” – Lucas, o nosso ilustre médico entre os apóstolos (da Bíblia), narra com precisão cirúrgica cada detalhe da caminhada com os apóstolos no livro de Atos quando surgia e crescia o que o império romano chamou de cristianismo, porém, para Lucas e para nós, nascia a igreja de Cristo.

Lembre-se, o Reino de Deus é não é passivo, nem está numa inércia! Não é um poço, é um rio de águas correntes que geram vidas novas e mudam destinos de famílias e nações! Por isso, assim como os apóstolos, você, como igreja, deve ser dinâmico no exercício da fé em Jesus e do amor ao próximo! E, sem mais perda de tempo, ser uma testemunha fiel dos feitos Dele para o bem da humanidade!! Há tempo de aprender, e tempo de ensinar o que se aprendeu! Jesus ensinou por 03 anos, e depois mandou os seus discípulos fazerem o mesmo! Uma autonomia direta do céu, sem enrolations!

Busque em primeiro lugar o reino de Deus, e as demais coisas serão resolvidas em seguida (Jesus).

Agora vai lá! Aprimore-se, saia do vício religioso e fé na estrada!

Até a próxima.

Claudinho



Claudio Santos

Claudio Santos

Fundador das Missões Adore e da Escola do Reino no Brasil, que é um braço direito da missão. Com mais de 30 anos de vida cristã, Claudinho, além de missionário, é escritor, professor voluntário, músico e conferencista. Tem formação em teologia, missiologia, ministério apostólico e capelania priosional. Membro do Conselho de Pastores de SP. Atualmente é aluno mestrando em missiologia e professor de teologia reformada na Missão EDR, em Recife.
#quevenhaoteureino; #missõesribeirinhas. #missõesurbanas; #missõessertanejas


Deixe seu comentário!