Por que você não deveria assistir Game of Thrones

O que dizer a um cristão que assiste a série “Game of Thrones”?


Por que você não deveria assistir Game of Thrones

“Game of Thrones” é uma série de um sucesso sem precedentes. De classificação adulta, a série se tornou polêmica devido à alta exposição da nudez e das cenas de sexo que beiram as cenas de sexo explícito do universo pornô, além de conter cenas de estupro e violência sexual contra mulheres.

Mediante o sucesso e a larga audiência (em especial do público cristão) por todo o Ocidente, penso que seja necessário uma abordagem deste assunto, visando produzir uma reflexão nos cristãos acerca da relação entre a fé cristã e o entretenimento secular.

Meu problema não está com a série em si. Meu problema está com o que a série pode produzir em minha espiritualidade – e isso vale para qualquer filme, série, novela, programa de TV, música e etc.

Não é uma questão meramente moral, mas espiritual. Sabemos que o entretenimento mundial dialoga com a linguagem do mundo, e que os valores contemporâneos pós-revolução sexual são transmitidos livremente com o pretexto de ser “uma abordagem do tema, para que uma reflexão seja levantada” – sendo que a linha entre o que é liberdade de expressão e o que é libertinagem disfarçada de liberdade é bastante tênue.

A Bíblia diz que o que contamina o homem não é o que entra (alimentos, como foi o contexto do texto), mas o que sai dele (Mateus 15.11). No entanto, a mesma Bíblia nos mostra em outros textos que o cristão precisa ter cuidado com aquilo que os seus olhos contemplam, pois o nosso crescimento em Cristo (que é a nossa santificação ou o nosso processo de parecimento com Ele) pode ser comprometido por uma relação equivocada com os desejos da natureza pecaminosa que ainda nos habita. Veja abaixo:

Não porei coisa má diante dos meus olhos. Odeio a obra daqueles que se desviam; não se me pegará a mim. (Salmos 101.3)

Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. (Mateus 5.29)

Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. (1 Coríntios 6.12)

Os três textos bíblicos citados acima abordam a questão da santificação do crente em Jesus Cristo. Vemos que há uma responsabilização do cristão quanto àquilo que chega aos seus olhos. O texto que Jesus diz sobre “arrancar o olho direito”, está diretamente ligado a um pecado sexual, que é o adultério. O salmista está evitando ver o mal e declarando odiar as ações dos que não temem a Deus. Paulo está dizendo que tudo se pode a nós, mas se algo pode dominar a alma ao ponto de nos contaminar pelo pecado, então não se deve.

A questão atual é que os cristãos modernos precisam demais da aceitação dos outros. Eles precisam demonstrar que são “descolados”, “culturalmente antenados”, “inteligentes”, “atualizados e contextualizados” e etc. Carecem de vestir a roupa do momento, de cantar e dançar a música do momento, de falar a gíria do momento, pois só assim podem ser “relevantes”. Isso é péssimo para a cristandade brasileira! Um grave erro básico!

A falta de prudência espiritual leva muitos a consumir conteúdos claramente nocivos à sua relação com Cristo; e, quando menos se imagina, relação com Cristo alguma já se possui na vida. Muitos começaram bem, orando frequentemente, não deixando de congregar e se tornando cada vez mais fascinados pela glória de Deus, mas foi assistindo a um conteúdo imoral, participando de uma conversa iníqua, rindo de uma piada pervertida e compartilhando um meme sujo (mas que faz os outros rirem) que estes amados deixaram a fé de lado e passaram a viver uma vida cristã ausente de vida.

O processo se dá seguinte maneira: você começa rindo de uma piada suja e amanhã você está contando uma piada suja. Depois você pratica a sujeira da tua piada. E aí, você é a piada.

Contudo não quero ser o falso moralista do momento, nem mesmo agir como um profeta do caos que se enxerga acima dos outros e que vai dizer a você que “se você assistir este programa fatalmente irá ao Inferno!”, pois isso é uma atitude de quem não sabe se reconhecer em Deus. Eu quero apenas te fazer um alerta para que ao menos duas coisas estejam em sua mente quando a próxima temporada de “Game of Thrones” der início: “eu de fato consigo lidar com este programa sem pecar contra Deus?” e também “esta série verdadeiramente contribui com algo de bom ou produz algum bem em minha vida?”.

Que Deus possa te conduzir na sabedoria dele e que você não abra mão de ser você mesmo em Deus; ou seja, santo ao Senhor. Que nenhum produto da TV ou da Internet te afaste da comunhão com o Pai. Que você seja relevante não pela roupa que veste, ou pelo linguajar que pratica, nem pelo conteúdo de entretenimento secular que você consome, mas pelo caráter do Cristo tatuado no seu interior, que realiza profundas transformações nas suas palavras e em suas ações. E que se cumpra na sua vida a seguinte fala do apóstolo de Cristo:

Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus. (1 Coríntios 10.31)



Maycson Rodrigues

Maycson Rodrigues

32 anos, é casado com Ana Talita, bacharelando em Teologia pela Unigranrio e colunista no site Gospel Prime. É pregador do evangelho, palestrante para família e casais, compositor, escritor, músico, trabalha no ministério de adolescentes da Igreja Batista Betânia e no ministério paraeclesiástico e missionário chamado Entre Jovens. Recentemente publicou um livro intitulado “Aos maridos: princípios do casamento para quem deseja ouvir”.


Deixe seu comentário!