A síndrome de “Hardy”

Quem não se lembra daquele desenho da década de 60, Lippy e Hardy, de Hanna Barbera, onde apresentava uma  improvável...


Quem não se lembra daquele desenho da década de 60, Lippy e Hardy, de Hanna Barbera, onde apresentava uma  improvável dupla de amigos, um leão e uma hiena (ambos são inimigos mortais nas savanas africanas). Lippy, o leão, sempre otimista frente às mais adversas situações. Lippy sempre via as coisas pelo lado bom. Ele entendia que os momentos ruins que passariam juntos se tornariam em um aprendizado para a vida. O leão sempre via as situações contrárias numa perspectiva diferente, ainda que sofressem o agravo do momento. Para o Leão um novo dia sempre trazia uma nova esperança.

Por seu turno Hardy, a hiena, refletia aquela pessoa  depressiva, mal humorada, sem esperança. Sempre tinha uma palavra amarga para o momento difícil. Tinha o coração endurecido, embrutecido. Vivia reclamando e dizendo que nada daria certo, que iriam morrer, etc. Para  Hardy tudo era sombra, tudo era cinzento, tudo emanava a morte. E ao final, realmente não dava nada certo mesmo; pelo menos estavam vivos, são e salvos. Hardy podia então concluir:

“-Eu sabia que não daria certo Lippy!


  Realize o Seu Sonho de Tocar Piano sem Sair de Casa. Comece Agora!


“-Oh dia, oh noite oh tristeza!”

Quando me lembro deste desenho da minha época de criança, imediatamente o Espírito Santo de Deus me faz contextualizá-lo com alguns ditos cristãos que não confiam mais nas promessas do Senhor.

É bem verdade que alguns estão passando por um vale existencial, sufocados pelas ondas dos problemas, perseguições, calúnias, discórdias no lar, separações, etc; mas diferentemente dos episódios de Hanna Barbera tenho que te lembrar que existe um Deus que está acompanhando o teu sofrimento e a única coisa que Ele espera é que tu tenhas confiança. Aguente firme, não solte a corda, o socorro já está a caminho.

O pior é que sempre aparece à nossa volta uma “Hiena” contagiada com a “Síndrome de Hardy”. São aqueles que nunca se converteram, nunca sentiram a presença do Senhor em suas vidas e a tônica de suas conversas e conselhos ecoam exatamente nas falas de “Hardy”:

“-Isso não vai dar certo!”

“-Eu acho que Deus já não ouve o teu lamento!”

“-O teu final será bem triste!”

Repreenda este conselho depressivo e maligno e confie no Senhor. Não temos um “Lippy”, o leão otimista como amigo, mas está conosco o “LEÃO DA TRIBO DE JUDÁ, JESUS, que disse:

“- No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, pois Eu venci o mundo” (Jo 16.33)

Quando te sentires só, desamparado e em agonia Ele te diz:

Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.

Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se indignaram contra ti; tornar-se-ão em nada, e os que contenderem contigo, perecerão.

Buscá-los-ás, porém não os acharás; os que pelejarem contigo, tornar-se-ão em nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo.

Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo. (Isaías 41:10-13).

Com “Lippy e Hardy” o que tinha que dar errado dava errado mesmo, mas com Jesus em nossas vidas tenho que reconhecer, até quando dá errado dá certo.

Pense nisto, Jesus te abençoe.



Armando Taranto Neto

Armando Taranto Neto

Articulista, mestre em sociologia da religião, graduado e pós-graduado em teologia bíblica. Pastor auxiliar na AD Mutua - RJ. Contato para ministração e estudos bíblicos: [email protected]


Deixe seu comentário!