Um pouco da verdade em Cristo: Cristo é a própria verdade

A verdade é o bem mais importante que existe


Um pouco da verdade em Cristo: Cristo é a própria verdade

Nos dias hoje, uma grande e imensa maioria de pessoas ainda sente que tem no cristianismo a sua cosmovisão, tem o cristianismo como uma única e exclusiva verdade. Infelizmente, porém, outro grupo ainda tem crença de que a verdade cristã não merece crédito algum. Enquanto há essa dualidade na busca de cosmovisões (crenças), a própria verdade vai seguindo sua vida no curso da história como sendo algo ou um objeto tão desejado quanto o ouro e a prata. As perguntas que ainda ficam são: existe verdade ou verdades? Quais são elas?

A verdade é o bem mais importante que existe, porque ela é o início de tudo, fonte de buscas intelectuais, espirituais e morais, além de libertar (Jo 8:32 e Fp 4:8). Por ela temos direção para nossa conduta de vida.

Estamos vivendo numa era pós-moderna, isso querendo dizer que, para quem não crê em Jesus, não existem verdades absolutas e tudo pode ser colocado em xeque. Questionar é natural. O ser humano é naturalmente questionador e essa postura pode ser até encarada como um autêntico direito. Questionar é resultado da liberdade que Deus nos deu em forma de livre-arbítrio. Não haveria livre-arbítrio se Deus não nos deixasse o poder de questionar. Nossa liberdade divina não seria a ideal ou perfeita, em conformidade com a vontade de Deus.

No entanto, muito embora essa postura de achar que tudo merece ser avaliado e até mesmo criticado seja da filosofia, de religião não se discute.

Ao longo de nossa tradição e cultura ocidental e secular dá para perceber que muitas e muitas perguntas foram feitas e poucas respostas foram conseguidas. Os pensadores ou filósofos ditos “modernos” se esmeraram em perguntar sobre tudo e sobre todos. Enquanto isso, hoje, a saga do politicamente correto segue ditando suas regras de silêncio para os cristãos, formas de conduta e de saber de uma maneira totalitária. Essa onda de uma geração hedonista (que só quer viver no prazer e sem responsabilidades ou deveres) ainda exige dos cristãos que eles sejam tolerantes e não críticos. Tudo isso é estratégia demoníaca. Mas isso não vem ao caso agora.

Parece meio embaraçoso dizer o que vai ser lido agora, mas, confirmando o tema central deste texto, é a pura verdade. O certo é que, se existiram e ainda existem muitas perguntas com poucas respostas por parte dos pensadores modernos, ateus, agnósticos ou até mesmo de outras religiões, nada mais sensato concluir e afirmar que os cristãos têm as respostas para tudo que se apresenta como questionável no mundo de hoje. Os cristãos têm as respostas e, consequentemente, todas as verdades. Sabemos da verdade e qualquer um que queira conhecê-la ela está aberta para todos que a buscarem. Como eu disse no parágrafo anterior, duvidar de tudo e procurar respostas é próprio do terreno filosófico, não da religião ou da fé. Com fé não se discute; ela é absoluta para nós, cristãos.

Mesmo que pareça aos olhos dos outros uma certa intolerância e arrogância, digo que em Cristo está a verdade. Ou melhor, Cristo é a verdade. A verdade tem uma autorrevelação, é decorrência da Vida no seu modo original dada por Deus. Quando Jesus deixou dito que “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, em Jo 8:32, isso quer dizer que ele próprio, Jesus, é a verdade em essência. Isso está confirmado, vejam: “Eu sou a verdade” (Jo 14:6).

Cristo não é um messias; ele é Messias, o filho de Deus, que veio nos dar salvação.

Portanto, se para descrentes a verdade ainda não existe, essa verdade nos está revelada faz muito tempo na Palavra de Deus, em Cristo, a verdade em vida e em essência. Da autêntica verdade em Cristo soa outra verdade, a que devemos buscar e ter uma verdade para que possamos nos guiar por caminhos corretos de vida. Nossa mente é bombardeada a todo momento por perseguidores mais ou menos inquietos com verdades absolutas, por isso a necessidade de termos valores e princípios cristãos como fonte de vida.

Já sabemos que Cristo é a própria verdade. Agora, como tomamos conhecimento dessa verdade? Poderíamos dizer apenas isso: através da Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada. Mas isso não esgota a respostas, porque aquele que simplesmente ler a Bíblia como se fosse um mero livro histórico não vai achar nada além de histórias contadas por sabe-se lá quem. Logo, é preciso mais do que leitura para ter acesso à verdade em Cristo. É preciso de fé, crer no que está lendo. E a fé vem do poder do Espírito Santo, que confirma em nossos corações a verdade da vida. Fé não tem nada a ver com o poder dos sentidos (empirismo) ou de nossas experiências pessoais do mundo e da vida (existencialismo). A fé não é um pensamento direcionado ao crédito na leitura. A fé é uma decisão de ler e acreditar naquilo que se está lendo.

Quando disse que Cristo é Messias quis dizer que a leitura da Palavra de Deus sem fé não confirma essa mensagem. É preciso fé para acreditar que ele é o único.



Sérgio Renato de Mello

Sérgio Renato de Mello

Defensor Público do Estado de Santa Catarina.


Deixe seu comentário!