Uma mentira “Super Interessante”

Mais uma vez a Revista SUPER INTERESSANTE presta um desfavor à causa da Palavra de Deus. Não se compreende quais...

por Armando Taranto Neto


Uma mentira “Super Interessante” Uma mentira “Super Interessante”

Mais uma vez a Revista SUPER INTERESSANTE presta um desfavor à causa da Palavra de Deus.

Não se compreende quais as intenções obscuras que os colunistas Alexandre Versignassi e Tiago Cordeiro se serviram para afrontar e desacreditar a Santa Palavra do Senhor bem como atacar os seus princípios doutrinários.

Com certeza os mesmos que fizeram a revista Veja, que é publicada pela mesma empresa, ser desacreditada por servir de instrumento de apoio às falcatruas no caso “Cachoeira”.

Esboços Prontos Impactantes para Você Pregar?

Conheça 365 esboços originais para você pregar com sabedoria e autoridade.
Uma pregação impactante para cada dia do ano. Acesse:

> Clique Aqui Para Acessar os Esboços Agora. <

Desta vez foi a edição de nr 305 de Junho de 2012 com a seguinte chamada de capa:

A Bíblia como você nunca leu”. Realmente, nesta leitura abominável e descomprometida com a verdade nunca se leu mesmo.

Vários assuntos são tratados nesta edição e faltar-nos-ia espaço para comentar cada um, tais como : Educação, Marido e Esposa, Negócios e Finanças, Sacrifícios, Crime e Castigo e Homossexualidade; e é sobre este último tópico que gostaria de tecer um comentário para corrigir a distorcida matéria.

A revista se utiliza da amizade de Davi e Jônatas para afirmar que ambos mantinham uma relação homossexual como se segue:

“ (…) O amor entre homens era punido com a morte – a não ser que você fosse o rei Davi. Os livros Samuel I e Samuel II contam a história da amizade entre ele e Jonatã, filho do rei Saul, antecessor de Davi e candidato natural ao trono de Israel. Davi acaba escolhido para a sucessão, mas isso não abala o relacionamento dos dois. Está escrito: “A alma de Jonatã se ligou com a alma de Davi. E Jonatã o amou, como à sua própria alma” (Samuel I). Em outra passagem, Jonatã tira todas as roupas, entrega a Davi e se deita com ele. “E inclinou-se 3 vezes, e beijaram-se um ao outro” (Samuel I). “Esse relato incomoda os intérpretes tradicionais da Bíblia, que tentam explicar a relação como uma forte amizade, e o beijo como um costume comum entre homens”, diz o historiador finlandês Martii Nissinen, da Universidade de Helsinki e autor de Homoeroticism in the Biblical World (Homoerotismo no Mundo Bíblico). (…)”

Muitos intérpretes da Bíblia veem Davi e Jônatas como dois adolescentes brincalhões que gostavam um do outro, pois possuíam interesses comuns, mas este é um entendimento raso e errôneo. Sabendo-se que Jônatas fazia parte do exército de seu pai Saul, ele, então, deveria ter por volta de 20 anos de idade, e o simples fato de ser o comandante de um terço deste exército e de ter conquistado duas grandes vitórias indica que era um soldado experiente, sendo descartada a possibilidade de ele ser um imaturo adolescente (ISm 13.1-4; 14.1-ss) . Alguns cronologistas bíblicos chegam a afirmar que havia uma diferença de 25 a 28 anos de idade entre Davi e Jônatas.

Depois de haver ouvido seu pai conversando com Davi, Jônatas desenvolveu uma afeição por Davi como só é comum aos companheiros de combate. Sendo Jônatas o filho mais velho de Saul, por direito seria o sucessor ao trono do pai, porém sabia que o Senhor já o havia entregue a Davi. Sendo assim, mais um motivo para se entender como a amizade entre eles era singular.

Quando Jônatas entregou suas vestes oficiais e sua armadura  a Davi, fazendo dele um igual e um amigo, estava, por alegoria, dizendo que um dia Davi tomaria o seu lugar, indicando que este lhe contara sobre a unção Real que recebera de Deus, e não que se despira para se entregar às paixões lascívias, prática radicalmente condenadas pelo Senhor. Os dois amigos realizaram uma aliança que tinha como base o seguinte: “Quando Davi fosse o Rei de Israel, Jônatas seria o segundo  no poder” (ISm 20.16, 17, 42; 23.16-18), e Davi comprometeu-se a proteger e dar guarida para a família de Jônatas.

O fato de Davi e Jônatas terem se beijado e chorado é apenas uma manifestação desta ardente amizade, que para nossa cultura parece estranha, mas normal no oriente. Certa vez Jesus repreendeu o anfitrião de um jantar  por não tê-lo beijado (Lc 7.45), o apóstolo Paulo recomenda o ósculo (beijo) por várias vezes às igrejas (Rm 16.16; I Co 16.20; II Co 13.12; I Ts 5.26 e Pedro em I Pe 5.14.

Para a declaração de II Sm 1.26:

“Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; muito querido me eras! Maravilhoso me era o teu amor, ultrapassando o amor de mulheres.”

Não está Davi aqui afirmando que tinha uma relação Homossexual com Jônatas, e muito menos que esta relação fosse mais prazerosa do que com mulheres, mas que o sentimento de amizade que era nutrido por ambos não tinha fim, ou seja, no sexo entre um homem e uma mulher, após o orgasmo os corpos se separam, mas com Jônatas não, eram ligados pela alma.

I Sm 18.1

“Ora, acabando Davi de falar com Saul, a alma de Jônatas ligou-se com a alma de Davi; e Jônatas o amou como à sua própria alma.”

I Sm 20.17

“ Então Jônatas fez Davi jurar de novo, porquanto o amava; porque o amava com todo o amor da sua alma.”

A revista erra quando se baseia em suposições de pseudos conhecedores das Santas Escrituras, mas como tem provado em cada edição, para esta editora, a verdade é o menos “INTERESSANTE”.

Tinha razão o grande historiador Heródoto quando disse:

“É SEM DÚVIDA MAIS FÁCIL ENGANAR UMA MULTIDÃO DO QUE UM  SÓ HOMEM”.

Fiquemos com a Bíblia, Deus te abençoe.

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.



Autor(a)

Armando Taranto Neto

Armando Taranto Neto (+ artigos)

Articulista, mestre em sociologia da religião, graduado e pós-graduado em teologia bíblica. Pastor auxiliar na AD Mutua - RJ. Contato para ministração e estudos bíblicos: [email protected]