Você busca a unidade na sua igreja e na sociedade?

A unidade na diversidade é fundamental.


Você busca a unidade na sua igreja e na sociedade?

Eu resido em um prédio com vários andares e que na semana passada, ficou sem luz um dia inteiro. E aquilo trouxe grandes transtornos para mim e minha família e para os demais moradores.

Mas, aí, ao ir trabalhar, encontrei o síndico e ele me mostrou a peça minúscula que tinha dado defeito no grande e complexo sistema de barramento elétrico e trazido todo aquele problema para um prédio de vários andares e apartamentos como o meu.



Neste momento, me veio um “insight”, que me fez refletir, quando ia para o meu trabalho, como em um “corpo”, todas as peças devem estar funcionando, sob pena do todo entrar em colapso ou trazer graves danos. Por mais insignificante a nossos olhos, uma peça, um “alguém”, em resumo, todos nós, temos um valor para o todo, ainda que não tenhamos consciência disso.

Com efeito, é importante reconhecermos o nosso valor em Deus. Gosto muito da consciência que Madre Teresa tinha quando afirmava que o que ela fazia era uma gota no meio de um oceano, mas, sem ela, o oceano seria menor. Ou seja, todos nós somos chamados a um propósito, a um chamado de Deus para fazermos diferença por onde andamos.

E trazendo isso para a vida cristã, como igreja, temos que estar unidos e em solidaridade e penso isso não só dentro das quatro paredes de um templo, mas, principalmente, fazendo diferença em nossas comunidades. A UNIDADE NA DIVERSIDADE é fundamental.



O próprio apóstolo Paulo, em I Coríntios 12:12-31 usa da analogia do corpo humano e seus diversos membros para demonstrar que o corpo de Cristo também tem muitas partes, com muitos dons diferentes, mas ainda assim é um único corpo. Quaisquer que sejam suas origens, todos os cristãos são batizados (regenerados) em um um só Espírito, isto é, o Espírito Santo.

Por outro lado, hoje vemos no mundo, uma clara agenda globalista que busca fomentar ainda mais divisões sociais e até no âmbito das igrejas. Por meio da mídia e de uma ideologia perversa, buscam incitar ressentimentos, mágoas nas pessoas. Estou lendo um livro chamado The New Church Ladies, que fala deste fenômeno.

Havia um personagem nos anos 80, de Dana Carvey, no programa Saturday Night Show, que era uma senhora cristã legalista, que buscava atacar a todos, apontando seus pecados e dizendo que iriam para o inferno. Era a “church lady”. Hoje, vemos, segundo o livro, as “New Chuch Ladies”.

São pessoas que, a propósito de estarem defendendo tudo “EM NOME DO AMOR”, buscam qualificar e atacar pessoas que pensam diferente de retrógrados, fascistas, homofóbicos, racistas, etc., com seus linchamentos virtuais nas redes sociais e reais, pedindo a cabeça da pessoa, seu emprego, etc.

E infelizmente, os valores judaico-cristãos estão na mira destas pessoas, como se os cristãos fossem a escória da sociedade, ou razão de todas as mazelas possíveis e inimagináveis. Isso só ajuda a criar DIVISÕES, que é exatamente o que temos que lutar fortemente contra, se queremos a UNIDADE, que estou tratando neste texto.

Concluindo, penso que nós, cristãos, devemos estar atentos e bem-informados sobre esses movimentos separatistas, e que saibamos responder não com revides, mas, buscando focar no exemplo do Mestre, que foi atacado de todas as formas, e podendo dar um imediato basta em tudo aquilo, buscou “apenas” ensinar o amor entre nós.



Leandro Bueno

Leandro Bueno

Procurador da Fazenda/Professor. Membro da Igreja Presbiteriana do Brasil


Deixe seu comentário!